CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS
Denise Steiner Por DERMATOLOGIA A médica Denise Steiner é dermatologista, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia e doutora pela Unicamp

Por que a pele perde mais água no inverno? Saiba como se cuidar no frio

A dermatologia Denise Steiner explica como o tratamento da pele precisa ser modificado durante essa época do ano

Por Da Redação Atualizado em 2 jul 2021, 15h59 - Publicado em 2 jul 2021, 17h00

A pele é o maior órgão do corpo humano e também é o órgão que faz interação com o meio exterior. Portanto a pele no inverno vai sofrer a influência de baixas temperaturas e ter que se adaptar a elas.

A temperatura mais baixa leva à desidratação da pele, com a evaporação da água para manter o calor. Ela precisa manter a temperatura do organismo entre 35,9 e 36,9 graus, que é o ideal para as reações metabólicas internas. E com temperaturas mais baixas o órgão tende a ficar ressecado com coceira e descamação.

Algumas alterações podem ocorrer tanto na face, como também no corpo. No rosto, o frio pode provocar avermelhamento e maior sensibilidade, como a dermatite seborreica, que é uma irritação constante na parte central do rosto, raiz do couro cabeludo e sobrancelhas. A rosácea, que se caracteriza por uma pele sensível e avermelhada, também piora muito com o frio.

O tratamento do rosto também precisa ser modificado, pois no inverno a cútis não tolera ácidos como o ácido retinóico e glicólico todos os dias. Outra questão relevante é que mesmo as peles oleosas e acneicas também precisam de hidratação. Lembrando que água é diferente de óleo.

No inverno a pele perde mais água e resseca com mais facilidade. Sendo assim, a palavra de ordem no inverno é hidratação. O hidratante compatível com sua pele deve ser usado todos os dias, de uma a duas vezes com intervalo de algumas horas entre as aplicações.

Continua após a publicidade
Woman caring of her beautiful skin on the face standing near mirror in the bathroom. Beautiful young woman applying moisturizer on her face. Smiling girl holding little jar of skin cream and applying lotion on face.
Ridofranz/ThinkStock

Os eczemas também são mais frequentes no inverno e consistem em uma alteração onde a pele fica inflamada e com coceira, podendo gerar feridas e infecção. As pernas podem coçar muito e descamar.

Além disso, os indivíduos atópicos, que já são mais sensíveis, pois a pele é mais ressecada por natureza, podem ter irritações nas dobras, no pescoço e também no couro cabeludo. A psoríase, assim como outras doenças inflamatórias, pode piorar no frio e a hidratação deve ser reforçada.

No inverno é interessante tomar somente um banho por dia, com sabonetes hidratantes, evitar esfoliação e hidratar a pele logo após o banho e também mais um horário por dia.

O hidratante deve ter propriedades umectantes e ser agradável ao toque de pele. Princípios como uréia, ácido hialurônico, glicerina, vitamina E, niacidamida, ceramida, ácido glicólico, óleo de uva, podem ser usados nessa composição.

O filtro solar deve continuar sendo usado no inverno, pois a radiação ultravioleta agride a pele independentemente da temperatura. Usar protetor solar com princípios hidratantes e antioxidantes ajuda na saúde e beleza da pele.

Cuide-se.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade