O que significa o choro do bebê?

Um miniguia para tentar decifrar os momentos em que o bebê começa a espernear e os pais não sabem o motivo nem o que fazer

O choro do bebê pode revelar desde fraldas vencidas até necessidades emocionais. Fique de olho!
Foto: Getty Images

Os especialistas definem o choro como um sinal perfeito: o som é constante e alto o suficiente para chamar a atenção de quem estiver em volta. E as crises se manifestam toda vez que algo não vai bem. É um alarme poderoso, além de ser uma importante forma de interação com o filho. Quem tem um bebê em casa, no entanto, sabe que nem sempre é fácil decifrar o motivo da queixa e encarar o berreiro. Aí surge a dúvida: o que fazer, afinal, na hora do choro?

Decifrando o mistério

 Bebês podem chorar por inúmeros motivos. E, como eles não nascem com manual, interpretar o que está acontecendo é um desafio que exige tranquilidade, atenção e boa dose de intuição materna. Vamos às causas mais comuns:

Fome

Em geral, o choro é contínuo. A criança vira a cabecinha como se estivesse procurando algo e não se acalma nem com o carinho da mãe. Se você, mãe, deu de mamar, ela ficou quietinha e não voltou a chorar, era fome. Mesmo que o horário da mamada ainda esteja distante, o pequeno pode ter vontade de se alimentar. Assim como os adultos, os bebês também experimentam variações de apetite.

Fraldas vencidas

Esse talvez seja o item mais simples de ser verificado. Se as fraldas estão secas e o bebê continua chorando, evite trocá-lo e provocar ainda mais estresse. Nas trocas de fralda, capriche na limpeza e use sempre um creme protetor para prevenir assaduras. Assim, você estará eliminando mais um motivo para o choro.

Desconforto

O bebê pode estar protestando contra frio ou calor. Dobrinhas molhadas e bochechas vermelhas costumam indicar exagero no figurino de inverno. Já mãos e pés frios mostram que ele precisa de mais proteção. E cuidado com botões, etiquetas, saliências e dobras da roupa. Esses detalhes podem machucar a pele do bebê ou provocar alergias. Verifique também se não há brinquedos pontudos e ásperos no berço ou no carrinho que possam incomodá-lo.

Necessidade emocional

Nem sempre as razões para o choro são físicas. Depois de nove meses envolvido e protegido pelo útero, o bebê pode estranhar o “vazio” do mundo aqui fora e se sentir desamparado. Experimente aconchegar seu filho bem junto ao corpo, próximo ao peito.

Dor

Geralmente, provoca choro contínuo, intercalado com pequenos gritos mais agudos. Se todas as hipóteses já foram descartadas e nada parece acalmá-lo, é hora de consultar o pediatra, especialmente se o pequeno estiver febril.