Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Marcha das Mulheres reúne famosas para pressionar Donald Trump

A Marcha das Mulheres acontece um dia após a posse do novo presidente dos EUA em busca da construção de uma sociedade onde todos sejam respeitados,

Por Ana Flavia Monteiro - Atualizado em 20 jan 2020, 22h33 - Publicado em 19 jan 2017, 14h32

“E se as mulheres marchassem em massa em Washington no dia da tomada de posse de Donald Trump?”, essa foi a pergunta postada por Teresa Shook, uma advogada aposentada residente no Havaí, num grupo do Facebook após a eleição do republicano para a presidência dos Estados Unidos e que incitou um movimento no país conhecido como A Marcha das Mulheres, que acontecerá nesse sábado (21).

Com sede inicial em Washington, onde fica a Casa Branca, a ideia de Teresa ganhou milhares de apoiadoras em apenas alguns minutos e se alastrou ao redor do mundo como um movimento a favor dos direitos das mulheres. Com a adesão de diversos países, a luta passa a ser não só contra um presidente misógino, racista, machista, segregacionista e xenófobo, mas sim contra uma sociedade (e um mundo) que partilha dessas características.

Para aumentar a visibilidade da luta, diversas famosas, como Demi Lovato, Cher, Olivia Wilde, Katy Perry, Lupita Nyong’o, Julianne Moore e Scarlett Johansson, expressaram publicamente o interesse em participar da marcha.

View this post on Instagram

We work peacefully while recognizing there is no true peace without justice and equity for all. Join the movement! Men are welcome! @womensmarch #WomensMarch #january21 @obeygiant

A post shared by Olivia Wilde (@oliviawilde) on

https://www.instagram.com/p/BPYugOKAhJf/?taken-by=ddlovato

View this post on Instagram

"The future depends entirely on what each of us does every day; a movement is only people moving" @gloriasteinem Proud to move with the @womensmarch this January 21st, raising my voice for honesty, truth, and compassion against injustice, lying and greed. #whyimarch #WomensMarch

A post shared by Lupita Nyong'o (@lupitanyongo) on

Continua após a publicidade

A cantora Janelle Monáe confirmou sua presença como performer no sábado: “A música sempre foi um instrumento poderoso para unir as pessoas e eu acredito que se permanecermos juntos, nossas vozes serão mais poderosas que qualquer força que tentar nos reprimir”, disse a cantora.

Beyoncé usou sua conta no Facebook para apoiar a causa: “Como cidadãos globais, nós podemos fazer nossas vozes serem ouvidas e tornar esse estado de alerta em ações efetivas e mudanças positivas #WomensMarch”.

A página oficial do Twitter da Marcha das Mulheres publicou o vídeo sobre o movimento.

Além de diversos posteres com dizeres empoderadores para inspirar a marcha.

View this post on Instagram

This artwork by @jennifermaravillas was one of the 5 chosen from the @amplifierfoundation's public call for art for the #WomensMarch on Washington. "Our Bodies, Our Minds, Our Power draws inspiration from a time when demands were stitched onto banners and flags. I originally created these graphics for a series of protest bandanas highlighting the history of protests in America, combined with the many symbols representing our gender, sexuality, and religions that ground and uphold our global feminist movement. As we enter this new phase of resistance, we will look to the methods of our foresisters; to the vibrancy and wisdom in each other, past those titles and patterns that work to divide us; toward a more balanced and realized society.” -Jennifer Maravillas

A post shared by Women's March (@womensmarch) on

Continua após a publicidade
Publicidade