7 filmes, desenhos e séries que deram espaço à diversidade

Personagens negros e LGBTs foram inseridos ou transformados nestas produções para aumentar a representatividade e visibilidade das minorias

Nesta semana, foi revelado que As Meninas Super Poderosas receberão um reforço no combate ao crime na cidade de Townsville que será apresentada ao público no filme Power of Four, com estreia prevista para 17 de setembro nos Estados Unidos. Pouco foi divulgado sobre a nova companheira de Lindinha, Docinho e Florzinha. Porém, o que se sabe é que a nova heroína será uma garota negra e contribuirá para aumentar a diversidade no desenho.

Leia mais: Para diretora do Google Fotos, diversidade é a chave do sucesso

A contribuição de As Meninas Super Poderosas ao trazer representatividade em suas heroinas é um grande avanço. Mas não é exceção. Outras produções também investiram em mostrar diversidade em seus personagens – seja ele racial ou de orientação sexual.

1. Homem-Aranha

Você com certeza conhece o fotógrafo Peter Parker, que ao ser picado por uma aranha geneticamente modificada passou a ter habilidade aracnídeas e se tornou o Homem-Aranha. Porém, Peter não é o único jovem com tais características.

Em uma realidade paralela, mas também oficial da Marvel Comics, o jovem Miles Morales, um rapaz negro, também as tem e assumiu a identidade de Homem-Aranha após a morte de Peter.

A ideia de criar um Homem-Aranha negro surgiu em 2008, após a eleição de Barack Obama à presidência dos Estados Unidos. Porém, Miles só ganhou vida nas HQs em 2015.

(Reprodução/Facebook)

2. Nick Fury

Nas histórias em quadrinhos, o líder da agência secreta de espionagem americana da S.H.I.E.L.D é um soldado branco de tapa-olho. Porém, nas versões para o cinema, quem deu vida ao personagem foi o ator Samuel L Jackson, 68 anos.

O sucesso do personagem foi tanto que a Marvel decidiu repaginar o chefe da S.H.I.E.L.D para deixá-lo mais parecido com a versão que é a usada nos filmes.

(Reprodução/Facebook)

3. Mulher-Gato

Em 2004, a atriz Halle Berry interpretou a conhecida vilã Mulher Gato. Nas HQs, a personagem é uma mulher branca e foi interpretada nos cinemas por artistas como Michelle Pfeiffer, no filme Batman Returns (1992), e Anne Hathaway, em Batman: O Cavaleiro das Trevas (2008)

(Reprodução/Reprodução)

4. Hermione Granger

Em 2015, os fãs de Harry Potter foram notificados de que a saga ganharia um musical. A informação veio junto à notícia de que a personagem Hermione Granger seria interpretada pela atriz Noma Dumezweni, 48 anos.

A seleção de Noma para o elenco da produção pegou alguns fãs de surpresa, que contestaram a escolha afirmando que em todos os filmes da franquia a jovem bruxa havia sido interpretada por Emma Watson, 27 anos, que é branca. Aos críticos, a criadora do universo J. K. Rowling respondeu em sua página no Twitter: “Descrição oficial: olhos castanhos, cabelos crespos e muito esperta. Pele branca nunca foi especificada.”

(Reprodução/Facebook)

5. Protagonista de 24h

A série 24h ficou conhecida pelo anti-heroi Jack Bauer, vivido pelo ator Kiefer Sutherland, 50 anos, como o protagonista da trama que servia à Unidade Contra-Terrorismo dos EUA que usava meios não muito tradicionais para proteger o país. Apesar do sucesso, a produção foi cancelada em 2010 após oito temporadas no ar.

Para os fãs saudosos das aventuras do agente, a franquia ganhou um spin-off em 2017 batizado de 24h: Legacy e protagonizado pelo agente Eric Carter, interpretado por Corey Hawkins, 28 anos. A nova produção não obteve sucesso e foi cancelada após a exibição da primeira temporada.

(Reprodução/Facebook)

6. Lefou

A clássica animação da Disney ganhou uma versão em live-action no início de 2017. Além da produção com personagens vividos por artistas reais, o filme A Bela e a Fera também ganhou diversidade entre os personagens. O fiel escudeiro de Gaston, Lefou, foi revelado como um personagem LGBT. A revelação, entretanto, enfrentou resistência de alguns cinemas dos Estados Unidos e da Malásia, que se recusaram a exibir a cena em que o francês demonstra sentimentos pelo vilão da história.

(Reprodução/Facebook)

7. Mulher Maravilha

A heroina da DC é outra personagem que contribui para a diversidade LGBT dentro dos quadrinhos.

A atual série de HQs da super-heroína – que apresenta o passado e o presente de Diana – mostra que a amazona se relaciona amorosamente com homens e mulheres.

(Reprodução/Facebook)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. EsqueceDireita OuEsquerda

    Posso fazer 2 correções?
    1. Miles Morales não é de uma realidade paralela da Marvel. A Marvel hoje tem uma meia dúzia de heróis aranhas. Miles é um deles. Inclusive, ele e Peter Parker já se uniram em diversas ocasiões.
    2. Nick Fury parecido com Samuel L. Jackson não é baseado nos filmes. Ele apareceu assim numa reimaginação dos personagens chamada “The Ultimates” em 2002. Como o primeiro filme da Marvel, Homem de Ferro, é de 2008, a inspiração veio dos quadrinhos e não ao contrário. Essa série do Ultimates é sim de uma outra realidade. Atualmente, há o filho do Nick Fury original com descendência afro.
    Fonte Miles Morales e Peter Parker: https://goo.gl/images/MJWyB3
    Fonte Nick Fury: https://goo.gl/images/XT9qHz