Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Estudos comprovam: quem fala palavrão tem um vocabulário mais rico

P*^% que do c$*&ra*@!

Por Gabriela Kimura Atualizado em 21 jan 2020, 16h09 - Publicado em 22 dez 2015, 12h36

Quem nunca ouviu a frase “que boca suja, menina!” que atire a primeira pedra. Palavrões e xingamento sempre foram associados a ignorância e uma atitude um tanto quanto rude, mas um estudo realizado nos Estados Unidos aponta que isso pode ser uma bela baboseira. A pesquisa publicada no Language Science afirma que as pessoas que conseguem listar o maior número de palavras diferentes também têm maior capacidade de nomear mais tipos de animais e palavrões.

Os 43 participantes foram acompanhados desde a adolescência até a fase de jovens adultos para comparar o vocabulário e conhecimento de palavras consideradas tabus. Primeiro eles realizaram um teste chamado COWAT (literalmente significa Teste Controlado de Associação Oral de Palavras), no qual precisavam listar o máximo de palavras começadas com uma determinada letra em um minuto.

Curiosamente os xingamentos “fuck”, “bitch” e “shit” foram os três que mais apareceram de um total de 400 palavrões e insultos. Apesar de divertido o objetivo do estudo era provar a hipótese de fluência: isso significa que a sua proficiência oral é universal em todos os contextos, independente de ser em vocabulário geral, profanidades ou substantivos. cheeky

Publicidade