Coluna da Cynthia de Almeida: “Não me sinto realizada no trabalho. Devo pedir demissão?”

Talvez. Nossa colunista de carreira, Cynthia de Almeida, sugere alguns passos para clarear as ideias

Tenho ido sempre desanimada e entediada para o trabalho. É o meu primeiro emprego e não tenho do que me queixar – apenas não me realiza. É hora de pedir demissão?

Talvez seja, sim. Mas você é a única pessoa que pode avaliar se deve e quando tomar essa decisão. Minha sugestão é pensar nos próximos passos: é mais fácil a gente constatar que não gosta mais de alguma coisa do que descobrir do que realmente gostamos. Perguntei muitas vezes a jovens inteligentes que vinham pedir demissão por que o trabalho não lhes trazia satisfação: e o que você quer fazer?  “Não sei” era a resposta mais comum, na ponta da língua. Seu desafio é inverter a ordem das coisas: primeiro descobrir o que quer, para então descartar o que não quer. Pode parecer difícil no início da carreira, mas é exatamente no ponto de largada que todas as opções são possíveis e valem o esforço da reflexão e do autoconhecimento. Faça uma listinha de razões pelas quais você não gosta do que faz e, ao lado, enumere o que, se pudesse escolher, faria com prazer. Como é apenas um exercício, tente não limitar seus sonhos. Ter em mãos uma lista de suas próprias aspirações pode ser uma ferramenta útil. Sobre qual seria então o melhor momento para pedir as contas, a resposta é mais óbvia e está em sua conta bancária: você tem o suficiente para se bancar enquanto procura uma nova colocação? Pode contar com ajuda dos pais? Quanto tempo dura sua “reserva da demissão” (que todos nós deveríamos manter, em nome da nossa liberdade de escolha)? Faça a lista de aspirações primeiro e as contas depois. Una os pontos e siga em frente.

Cynthia de Almeida é colunista de CLAUDIA e escreve aqui no site toda terça-feira. Mande sua dúvida de carreira para ela!