Brincar de cientista pode ser muito divertido!

E nem precisa ter microscópio em casa!

Se você acha que o mundo científico é chato e sisudo, espere para conhecer as invenções do Mad Science – surgido no Canadá há 30 anos, o projeto chegou ao Brasil em 2008 e tem feito muita criança querer ser cientista quando crescer. Em cursos extracurriculares ou oficinas para crianças de 5 a 12 anos, que podem acontecer em festinhas de aniversário ou até mesmo em grandes empresas, o time de monitores encarna o papel de cientista maluco e estimula a realização de experiências que despertam a curiosidade da criançada – e divertem pra valer. A base de tudo, porém, é muito séria: brincando, aprende-se química e biologia. “Também temos um programa que desperta interesse por tecnologia espacial, elaborado em parceria com a Nasa”, afirma Dany Artel, CEO do Mad Science no Brasil (a sigla, no caso, significa Chefe de Experiências Opulentas). Segundo Artel, dá para brincar de cientista em casa – e nem é preciso ter apetrechos de laboratório. Bastam alguns utensílios básicos, desses que todo mundo tem na cozinha ou na área de serviço, e uma boa dose de bom humor para conduzir as experiências. Ele sugere duas para começar, bem fáceis de fazer e ideais para crianças pequenas.

FLORES QUE MUDAM DE COR

Você vai precisar de:

▪ 2 flores brancas com caule longo (cravo ou margarida, por exemplo)

▪ 2 copos plásticos transparentes

▪ 1 vidrinho de corante alimentício

▪ tesoura sem ponta

água

Mãos à obra

1 Encha os dois copos com água até a metade.

2 Coloque 30 gotas de corante em um deles, até a água ficar em tom bem forte.

3 Corte o caule das flores no meio com a tesoura. Coloque uma no copo colorido e outra na água pura.

4 Espere 24 horas para conferir o que acontece – analise bem o resultado e faça anotações sobre o que mudou, como um autêntico cientista.

Explicação científica

Muitas plantas absorvem água através da raiz – o líquido percorre o caule da planta até chegar às folhas e flores. O corante alimentar não prejudica a planta e ajuda a evidenciar esse trajeto.

DOBRANDO A ÁGUA COM ELETROSTÁTICA

Você vai precisar de:

1 pente ou caneta de plástico

1 torneira

1 pedaço de feltro ou lã

Mãos à obra

Ligue a torneira, deixando um fio bem fino de água corrente.

2 Esfregue o pente várias vezes no feltro (ou no cabelo, desde que ele esteja bem seco).

3 Agora, bem devagar e sem tocar na água, aproxime o pente do fio de água. O que acontece?

4 Que tal agir como um verdadeiro cientista, ampliando a experiência? Analise, por exemplo, se a temperatura da água ou o tamanho do pente afetam o resultado.

Explicação científica

Ao esfregar o pente, você carregou os átomos dele com o que os cientistas chamam de elétrons, que possuem cargas negativas. Agora que tem carga negativa, o pente será atraído por outras coisas que possuem carga positiva, como a água. É bem parecido com o funcionamento de um ímã – a atração é tão forte que o fio de água se move na direção do pente!

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s