Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

A incrível saga do vôlei feminino para chegar ao pódio

Tanto a equipe de praia quanto a de quadra são os destaques desta Olimpíadas - também conhecida como os Jogos das mulheres.

Por Gabriela Kimura - Atualizado em 21 jan 2020, 06h21 - Publicado em 15 ago 2016, 11h14

Se você ainda achava que esta edição não é das mulheres, pense novamente. Das sete medalhas que o Brasil ganhou até agora, três foram conquistadas por elas – sendo que a única de ouro é da judoca Rafaela Silva.

Para os fãs de vôlei, ver tanto as duplas na areia quanto o time todo batalhando nas quadras, é para os fortes. Todo esforço, dedicação e sofrimento vale a pena: a cada set vencido, o pódio parece ficar cada vez mais próximo.

Buda Mendes/Staff/Getty Images
Buda Mendes/Staff/Getty Images

Ontem (14) a seleção feminina mostrou a sintonia em quadra em jogo difícil, contra as experientes jogadoras russas. Nos três sets, os pontos foram fechados com margens pequenas – 25×23, 25×21 e 25×21 -, mas não é à toa que elas são “o show das poderosas”. E elas seguem para as quartas de final na próxima terça-feira (16) contra a equipe da China. Sem nenhum set perdido, com cinco vitórias de cinco partidas jogadas!

Sean M. Haffey/Staff/Getty Images
Sean M. Haffey/Staff/Getty Images

E se nas quadras a previsão já é boa, na areia o futuro é ainda melhor: as duas duplas, Larissa Maestrini e Talita Rocha e Ágatha Bednarczuk e Bárbara Freitas estão nas semifinais. Contra Alemanha e Estados Unidos, as jogadoras têm chance de chegar à final em um momento incrível: Brasil x Brasil. Nossos corações ficariam absolutamente divididos nessa vitória, mas seriam duas medalhas – de ouro e prata – para o país. Todos os jogos acontecem amanhã (16) às 16h, 22:15h e às 23:50h. Pode preparar a torcida que o dia vai ser #tenso!

Sean M. Haffey/Staff/Getty Images
Sean M. Haffey/Staff/Getty Images

Continua após a publicidade
Publicidade