Novo livro ensina a ser autoconfiante como uma mulher francesa

Longe de dicas previsíveis, best-seller francês recém-chegado no Brasil desvenda o jeito de ser das francesas, mostrando o que elas pensam sobre estilo, cultura, comportamento e homens.

Foi a carreira e o gosto por viajar que levaram a modelo e produtora musical francesa Caroline De Maigret a percorrer o mundo. Em suas andanças, sempre ouvia a pergunta: como se conquista o charme da parisiense? A questão virou conversa de bar com as compatriotas Anne Berest, Sophie Mas e Audrey Diwan e, depois, o livro Como Ser uma Parisiense em Qualquer Lugar do Mundo (Fontanar, 39,90 reais), escrito pelo quarteto. Aos 39 anos, Caroline falou a CLAUDIA e, basicamente, defende a autenticidade: “Pare de correr atrás do que não existe e assuma quem você é. Essa é a grande mensagem do livro”.

O que faz a parisiense ser tão especial?

Na verdade, somos iguais às outras mulheres. Há diferenças culturais. Por exemplo: nossas mães lutaram pelos direitos femininos e, agora, nós não queremos ser vistas como uma geração fútil. Então, buscamos ser valorizadas mais pela inteligência e pela personalidade do que pela beleza ou pelo corpo. Até passamos o dia todo no salão, mas preferimos contar apenas que estávamos lendo um livro.

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

E sobre o estilo da parisiense?

Aprendemos a ser discretas, sem joias ou roupas extravagantes. Estar confortável é mais importante do que acompanhar a moda. Sempre falo que basta ter uma boa peça de estilista que reflita quem você é. Em um dia difícil, ela pode trazer dose extra de autoconfiança.

Que conselho do livro você destaca?

As parisienses se empenham em tudo o que fazem. Eu posso ser uma péssima cozinheira, mas preparo um prato específico muito bem. Meus amigos já esperam comer aquilo lá em casa. O conselho: transforme o que você faz bem em sua marca registrada.