Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Na Tanzânia, governador lança “caça” à comunidade gay

Ser homossexual é passível de punição no país

Por Da Redação 3 nov 2018, 12h16

Uma campanha de delação entre cidadãos da região de Dar es Salaam, na Tanzânia, foi lançada pelo governador local Paul Makonda. O objetivo é identificar homossexuais na cidade, segundo informa a rede italiana ANSA.

Ser homossexual é passível de punição na Tanzânia e manter relações com uma pessoa do mesmo sexo é passível de punição com até 30 anos de prisão no país.

Segundo a imprensa local, as autoridades de Dar es Salaam já receberam mais de 6 mil denúncias em poucos dias de campanha – o que criou um clima de terror e obrigou a comunidade LGBT a se manter ou na clandestinidade ou a fugir.

Além de pedir para que civis denunciem LGBTs, Makonda também criou um comissão de 17 membros para identificar homossexuais nas redes sociais.

A perseguição também acontece com quem defende esta minoria. Nos últimos anos, ativista LGBTs e defensores dos direitos humanos foram presos na Tanzânia sob a acusação de “propaganda da homossexualidade”.

Leia mais: As vitórias LGBT por igualdade nos últimos anos no Brasil

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade