Migrante de 4 anos que chegou sozinha à Itália encontrará sua mãe

Ela havia sido deixada na casa de uma amiga da família para escapar do pai, que queria submetê-la a uma mutilação genital

Aos 4 anos, Oumoh chegou sozinha na Itália através de uma embarcação de imigrantes. A menina da Costa do Marfim foi retirada de casa pela sua mãe, devido a uma ameaça de mutilação genital por parte do pai. Agora, graças a uma extraordinária coincidência, as duas se encontrarão novamente.

oumoh

Em solo europeu, a inspetora de polícia Maria Volpe, responsável por cuidar de refugiados menores de idade que chegam à Sicília, levou a garota para um abrigo em Palermo.

Entretanto, foi graças a uma menina chamada Nassade, de 8 anos, do Mali, que a história começou a mudar. A pequena reconheceu Oumoh em uma foto no celular da policial. Nassade havia chegado dias antes à Lampedusa, mas, previamente, ela e Oumoh estiveram em um mesmo centro de acolhimento na Tunísia. Através deste contato, a família de Nassade compartilhou o número de telefone dos parentes da outra garotinha.

Chorando, a mãe contou que teve de afastar sua filha do marido, que queria submetê-la a uma mutilação genital. Em meio ao desespero, levou a criança à Tunísia, onde deixou na casa uma amiga. Quando retornou ao local, dias depois, todos haviam embarcado para a Europa.

A partir do encontro, os serviços diplomáticos se mobilizaram entre Roma e Tunes para reunir as duas. Em novembro, Sergio Mattarella, presidente da Itália, incluiu a oficial “Mamma Maria” na lista de 40 “heróis comuns”do país.