Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Mãe de Eliza Samudio sobre Bruno: “Medo ainda existe”

Segundo Sônia Moura, o neto não reconhece o goleiro como pai

Por Da Redação - 27 abr 2017, 17h53

A mãe de Eliza Samudio, Sônia Moura, relatou em entrevista que se sente aliviada com a decisão do Supremo Tribunal Federal de mandar o goleiro Bruno Fernandes de volta à prisão na terça-feira (25). Entretanto, revelou que a angústia em relação ao assunto não acabou. “Meu medo ainda existe. Querendo ou não, eu sou a pedra no sapato dele. Antes era a Eliza, agora sou eu que incomodo. Quem me garante que não virá alguém atrás de mim?”, disse ao site de VEJA.

Em 2013, o atleta foi condenado a 22 anos de prisão pela morte e ocultação do cadáver de Eliza, mãe do filho do casal. Depois de cumprir pena preventiva por seis anos, foi solto em fevereiro com base em liminar concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello, do STF. Sônia chegou a entrar com recurso, mas ele foi negado. O caso então sofreu uma reviravolta na terça-feira (25), quando a mesma corte derrubou a liminar por três votos a um.

Foram dois meses difíceis para ela, detentora da guarda do filho de Eliza e Bruno, Bruninho, de 7 anos, que não conhece os detalhes da tragédia familiar. “Ele sabe que o pai matou uma pessoa, mas não sabe quem”, diz a avó. Ainda segundo ela, o menino soube da liberação do goleiro, mas não demonstrou interesse em conhecê-lo. “O garotinho diz que o pai dele é o avô, meu marido”.

Com informações de VEJA.com*

Publicidade