Jovem que foi condenada por matar abusador aos 16 anos é perdoada

Cyntoia Brown sairá da prisão em agosto

Cyntoia Brown, hoje com 30 anos, matou Johnny Allen quando tinha 16. Ela relatou que tentou se defender do homem porque percebeu que ele tentaria matá-la. Condenada, ela passou quase 15 anos na prisão, mas foi perdoada na última segunda (7) e será libertada.

A sentença da moça foi revista pelo comportamento exemplar dela na prisão, explicou o governador do Tennessee Bill Haslam. Cyntoia ganhará a liberdade condicional no dia 7 de agosto e ficará nesta condição por dez anos.

“Cyntoia Brown cometeu, por sua própria admissão, um crime horrível aos 16 anos. No entanto, impor uma sentença de prisão perpétua a um jovem que exigiria que ela cumprisse pelo menos 51 anos antes mesmo de ser elegível para a liberdade condicional é muito severo, especialmente à luz dos extraordinários passos que Brown tomou para reconstruir sua vida”, disse o governador Haslam.

Filha de uma mãe viciada em drogas, a moça foi dada para adoção e fugiu aos 16 anos da família que a abrigou. Ela acabou indo morar em um motel com um homem que a estuprou e a forçou a se prostituir.

Em 2004, Johnny Allen, um corretor de imóveis, levou Cyntoia para a casa dele a fim de usufruir dos serviços sexuais e prometeu pagar US$ 150,00. Depois do ato sexual, ela percebeu que ele planejava matá-la. Ela então sacou uma arma, deu dois tiros no homem, pegou o dinheiro e duas armas e fugiu do local.

Ela foi condenada em 2006 à prisão perpétua por assassinato e roubo.

O caso de Cyntoia teve grande repercussão nos Estados Unidos e celebridades como Rihanna e Kim Kardashian fizeram campanha pela libertação da jovem.

Enquanto esteve presa, ela concluiu o Ensino Médio e deve se graduar na universidade em maio. Após receber a notícia do perdão, ela disse que  quer “viver o resto de sua vida ajudando os outros, especialmente os jovens. Minha esperança é ajudar outras meninas jovens a evitar terminarem onde eu estive”.