Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

11ª edição do Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo​ homenageia Anna Muylaert

Um dos maiores eventos do gênero cinematográfico da capital paulista, que ocorre de 20 a 27 de julho, destaca a presença feminina na sétima arte

Por Débora Stevaux (colaboradora) Atualizado em 27 out 2016, 19h46 - Publicado em 19 jul 2016, 18h20

A 11ª edição do Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo​, um dos maiores eventos do gênero cinematográfico no Brasil, que começa nesta quarta-feira (20) e vai até a próxima (27), destaca a presença feminina na sétima arte. Isto é, 45% dos 118 títulos que compõem a mostra foram dirigidos por mulheres. A cineasta paulista Anna Muylaert, membro recente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, organizadora do Oscar, e finalista do Prêmio CLAUDIA 2016, na categoria cultural, será a grande homenageada da vez

O evento exibe 23 produções com a direção ou roteiro assinados por ela, em diversas salas de São Paulo, entre elas estarão a pré-estreia do longa Mãe Só Há Uma, que abrirá, nesta quarta, oficialmente o evento; o genial Durval Discos, de 2002, superpremiado pelo Festival de Gramado; Que Horas Ela Volta?, na versão de demo-filme, que nada mais é do que uma espécie de “rascunho filmado e editado” crucial para a produção do longa, comentado pela própria diretora; a divertida trama de 2008, É Proibido Fumar, que traz Glória Pires e Paulo Miklos; dois filmes televisivos, curtas-metragens, videoclipes, vídeos autorais e os primeiros episódios de séries televisivas Mundo da Lua; Castelo Rá-Tim-Bum e As Canalhas

Divulgação
Divulgação

A mostra “Divas da Época de Ouro” relembra a presença de estrelas como María Félix, Ninón Sevilla, Marga Lopez, Stella Inda e Dolores Del Rio em películas notáveis datadas da década de 1940, conhecida pelos estudiosos da área como a Era de Ouro do cinema mexicano, em que era considerado o mais importante de toda a América Latina. 

O projeto “Mulheres Atrás das Câmeras” reúne títulos atuais, lançados entre 2014 e 2015 pela geração de jovens mulheres cineastas: diretoras como Alejandra Márquez Abella e Teresa Camou estão inclusas. Apesar do espaço conseguido à duras penas pelas mulheres em quaisquer que sejam os gêneros culturais – de acordo com a organização da mostra, apenas no ano passado, 25% de todos os filmes produzidos no México contam com a presença feminina na direção

Confira a programação completa do 11º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo pelo site oficial e acompanhe as novidades pela página no Facebook

.
.

Continua após a publicidade
Publicidade