Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Selton Mello escreve poema emocionado em homenagem a Caio Junqueira

Eles eram amigos de infância

Por Da Redação - Atualizado em 18 fev 2020, 11h34 - Publicado em 24 jan 2019, 12h27

Selton Mello fez uma homenagem emocionante ao ator Caio Junqueira nesta quinta-feira (24). Eles eram amigos desde à infância.

Caio morreu na manhã da última quarta-feira (23) depois de ficar uma semana internado por conta de um grave acidente de carro. Seu último trabalho foi ao lado de Selton na série da Netflix “O Mecanismo”.

Em seu perfil no Instagram, Selton contou parte da trajetória dos dois e relembrou momentos ao lado do amigo de longa data.

“Caio para sempre. Querido do peito até não mais poder. Não cabe aqui tudo que ele significa. Aliás, aqui cabe quase nada. A vida é curta, ela voa. Nunca mais a risada única dele. Seu alto astral, sua educação, sua energia. Nunca mais ouvir Led Zeppelin sem lembrar do amigo amado”, escreveu.

Continua após a publicidade

Leia também: Ex de Caio Junqueira, Gisele Itié faz homenagem emocionante ao ator

Ele prossegue de forma poética e emocionada e dá um conselho que serve para todos nós: que, apesar da rotina pesada, valorizemos os encontros da vida com as pessoas que amamos.

View this post on Instagram

Caio para sempre Querido do peito até não mais poder. Não cabe aqui tudo que ele significa. Aliás, aqui cabe quase nada. A vida é curta, ela voa. Nunca mais a risada única dele. Seu alto astral, sua educação, sua energia. Nunca mais ouvir Led Zeppelin sem lembrar do amigo amado. Amigos desde a infância, atores mirins, ele e Jonas, como Danton e eu. Muita história, muitas e muitas, muitas aventuras ao lado desse cara diferenciado. É isso. Tempos de telas e telinhas. Algoritmos. O que fica disso: Viver. De fato. Mais E Mais E Mais Janelas no lugar de telas. Eu quero janelas. Cada vez mais. E mais e mais e mais. Encontrar quem é do peito. De verdade. As lembranças ficam. Pra sempre. Inacreditável e doloroso demais saber que esse camarada doce, do bem, não mais estará. Nesse espaço terreno. Mas estará e MUITO dentro. Dentro de mim. E de quem o amava. De quem teve a sorte rara de poder ser seu amigo. Eu amava esse meu amigo irmão Caio Junqueira. Agora ele segue em mim. Sempre Sempre Sempre Eu sou Caio em um trabalho nesse momento e isso ganhou um significado transcendental. Você segue aqui, Caio. Do lado de dentro. Eu te amo. Para sempre.

Continua após a publicidade

A post shared by Selton Mello (@seltonmello) on

Confira a homenagem completa de Selton ao amigo: 

“Caio para sempre
Querido do peito até não mais poder.
Não cabe aqui tudo que ele significa.
Aliás, aqui cabe quase nada.
A vida é curta, ela voa.
Nunca mais a risada única dele.
Seu alto astral, sua educação, sua energia.
Nunca mais ouvir Led Zeppelin sem lembrar do amigo amado.
Amigos desde a infância, atores mirins, ele e Jonas, como Danton e eu.
Muita história, muitas e muitas, muitas aventuras ao lado desse cara diferenciado.
É isso.
Tempos de telas e telinhas.
Algoritmos. 
O que fica disso:
Viver.
De fato.
Mais

Mais

Mais
Janelas no lugar de telas.
Eu quero janelas.
Cada vez mais.
E mais e mais e mais.
Encontrar quem é do peito.
De verdade.
As lembranças ficam.
Pra sempre.
Inacreditável e doloroso demais saber que esse camarada doce, do bem, não mais estará.
Nesse espaço terreno.
Mas estará e MUITO dentro.
Dentro de mim.
E de quem o amava.
De quem teve a sorte rara de poder ser seu amigo.
Eu amava esse meu amigo irmão Caio Junqueira.
Agora ele segue em mim.
Sempre
Sempre
Sempre
Eu sou Caio em um trabalho nesse momento e isso ganhou um significado transcendental.
Você segue aqui, Caio.
Do lado de dentro.
Eu te amo.
Para sempre.” 

Mais homenagens

Outros amigos de Caio também prestaram homenagens. Entre eles, o ator Matheus Nachtergaele, companheiro de cena em “O que É Isso Companheiro?”, de 1997.

Continua após a publicidade

Veja o que o ator escreveu: 

“Caio, meu irmãozinho, meu parceiro de primeiros filmes, de Baixo Gávea, de virar e amanhecer na praia e rir de cueca no mar da zona sul, de risca-faca em Vitória da Conquista. O melhor de estar contigo era ficar muito à vontade e sem neura. E sorrir. Caio lindo, anjo sapeca. Todo mundo te amava muito, viu? Eu não creio num céu de nuvem, cheio de querubins como você, meu querido, mas num céu comum, inconsciente, e nesse céu nosso você mora como arquétipo do homem-menino que sorri apesar da vida ser assim, dura. Ontem tava esperançoso e te mandei mensagem: – Caíto, me diz quando puder falar, quando vir esse recado. Força, meu amor! Tô meio sem saber me despedir de você por que é cedo ainda. Tô chorando por ser você, o anjo sapeca, a partir primeiro.  Meu irmão, choro por você ter ido antes de mim. É injusto: tua alma é mais bonita. Um beijo eterno, parceiro. Vive agora no céu das minhas melhores lembranças.”

View this post on Instagram

Caio, meu irmãozinho, meu parceiro de primeiros filmes, de Baixo Gávea, de virar e amanhecer na praia e rir de cueca no mar da zona sul, de risca-faca em Vitória da Conquista. O melhor de estar contigo era ficar muito à vontade e sem neura. E sorrir. Caio lindo, anjo sapeca. Todo mundo te amava muito, viu? Eu não creio num céu de nuvem, cheio de querubins como você, meu querido, mas num céu comum, inconsciente, e nesse céu nosso você mora como arquétipo do homem-menino que sorri apesar da vida ser assim, dura. Ontem tava esperançoso e te mandei mensagem: – Caíto, me diz quando puder falar, quando vir esse recado. Força, meu amor! Tô meio sem saber me despedir de você por que é cedo ainda. Tô chorando por ser você, o anjo sapeca, a partir primeiro. Meu irmão, choro por você ter ido antes de mim. É injusto: tua alma é mais bonita. Um beijo eterno, parceiro. Vive agora no céu das minhas melhores lembranças.

Continua após a publicidade

A post shared by Matheus Nachtergaele (@mathnachtergaele) on

Leia também: Ex de Caio Junqueira, Gisele Itié faz homenagem emocionante ao ator

Siga CLAUDIA no Instagram

Publicidade