CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS

O primeiro papel de Diogo Almeida

O ator conta a experiência de viver Rudolf, o encanado personagem em Duas Caras

Por Redação M de Mulher Atualizado em 21 jan 2020, 13h36 - Publicado em 23 out 2008, 21h00

Diogo diz que é um prazer contracenar
com Paulo Goulart
Foto: Divulgação

Na trama de Aguinaldo Silva, ele cria polêmica o tempo todo no papel do líder estudantil Rudolf Stenzel, o aluno que conseguiu afastar Macieira (José Wilker) do cargo de reitor da universidade, graças a uma falsa acusação de racismo. Vivendo seu primeiro papel como profissional, Diogo Almeida, 23 anos, tem encarado com tranqüilidade o desafio de interpretar logo de cara um personagem tão forte em horário nobre. O público reclama que Rudolf é um chato, e ele concorda: “É verdade, às vezes nem eu mesmo agüento”, diverte-se o gato, que acaba de se formar em artes cênicas pela Casa das Artes de Laranjeiras, no Rio de Janeiro. A única coisa que o jovem galã sabe sobre Rudolf é que o rapaz é filho de um alemão e uma negra. “Isso explica o fato de ele ter nascido com olhos verdes”, diz. Diogo conta que ao receber os capítulos novos do folhetim, sua curiosidade sobre o “malinha radical” aumenta: “Quero saber onde ele vai parar e que raiva é essa que o move a manipular tanto as pessoas”.

Vida real

Se na novela Rudolf é tão engajado nas questões raciais, na vida real Diogo prefere manter-se à margem da discussão sobre o tema. “Quando rola preconceito comigo finjo que não entendo. Mas também acho que se a discriminação chega a uma situação extrema tem de ser denunciada.” O jovem artista conta que já foi abordado por um policial armado e teve de mostrar sua mochila. “Fiquei constrangido. Porém, ao ver que eu era estudante, ele me liberou e até pediu desculpas”, lembra.

Sem ciúme

Na novela, uma característica que consegue chamar mais atenção do que o jeito marrento de Rudolf são seus lindos olhos verdes. Mas a cor é de mentirinha. Diogo revela que a idéia de o personagem usar lentes de contato partiu do diretor Wolf Maya, que faz o Geraldo Peixeiro na história. “Todo mundo pensa que tenho olhos verdes de verdade”, conta, ressaltando que a atual popularidade vem sendo encarada com tranqüilidade por ele e pela namorada, Marcela Ávila. “Ela não tem ciúme das fãs. É minha maior incentivadora”, comenta o garoto, todo orgulhoso.

O começo de tudo

Diogo descobriu que seriam feitos testes para Duas Caras ao assistir a um desfile do Fashion Rio, no ano passado. “Fui até lá e me senti seguro e otimista. Quando saí da prova liguei para minha namorada convidando-a para comemorar. Tinha certeza de que o papel seria meu.” Duas semanas depois veio a confirmação, e agora sua maior alegria é poder contracenar com Paulo Goulart, que faz o implicante e ambicioso professor Heriberto. “Sempre fui fã do trabalho dele. Conhecê-lo foi um grande presente. Além de excelente ator, é um ser humano incrível”, elogia o iniciante, feliz da vida.

Continua após a publicidade
Publicidade