CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

Nasce o primeiro filho de Pathy Dejesus: “Meu bebê arco-íris!”

O pequeno é fruto do relacionamento da atriz de "Coisa Mais Linda" com seu colega de elenco, Alexandre Cioletti

Por Fernanda Tsuji Atualizado em 15 jan 2020, 15h36 - Publicado em 5 jun 2019, 13h16

Mais um bebê lindo chegou ao mundo! Rakim, primeiro filho da atriz Pathy Dejesus, nasceu na madrugada do dia 3 de junho. O pequeno é fruto do relacionamento da atriz com Alexandre Cioletti, os dois contracenaram juntos em Coisa mais linda. “Quando tudo faz sentido… Sonhei tanto com vc, meu filho 😢❤️”, postou ela. 

Aliás, foi a própria Pathy que contou a novidade em seu Instagram, acompanhada de uma belíssima foto da hora do nascimento. Até caiu uma lagriminha aqui!

View this post on Instagram

Quando tudo faz sentido… Sonhei tanto com vc, meu filho 😢❤️ E Rakim veio na hora dele, da forma que tinha que ser. Horas de trabalho de parto, até concluirmos que a cesariana seria o melhor pra ele. E foi lindo! Madrugada do dia 3 de Junho. O momento mais feliz da minha vida! Meu milagre! Meu bebê arco íris! Eu te amo meu filho!!! Uma estrada cheia de superações e estamos aqui. Olho pra vc todo perfeitinho e ainda não caiu a ficha. Papai @ciolettialexandre obrigadaaaa, eu te amo!!! Agradecemos à todos pela onda de amor. GRATIDÃO 🙏🏾 #maedoRakim

A post shared by Patricia Dejesus 🐜 (@pathydejesus) on

Pela legenda, Pathy conta que o parto foi cesárea na Pro-Matre, em São Paulo. “E foi lindo! Madrugada do dia 3 de Junho. O momento mais feliz da minha vida! Meu milagre! Meu bebê arco-íris! Eu te amo meu filho!”, contou a mamãe, muito feliz. Rakim nasceu com 3kg e 49 cm.  

O termo “bebê arco-íris“, usado pela atriz, é uma forma de definir crianças que nasceram de uma mãe que tenha sofrido uma perda anterior, como um aborto prematuro ou um luto de outro filho. Também pode ser usado como simbolismo para crianças que nasceram depois de um momento difícil na vida das mães, trazendo luz e esperança.

Aos 42 anos, Pathy contou em conversa ao MdeMulher que sempre sonhou em ser mãe. “Os médicos já tinham meio que falado que não tinha mais como eu engravidar. Eu sempre quis ser mãe. Só estava faltando um pouco de coragem, mas quando eu vi que poderia, já era meio tarde fisiologicamente falando, então eu já pensava em adoção solo”, contou ela, mas que foi surpreendida pela gravidez de Rakim. Veja a entrevista completa – vale muito a pena!:

Continua após a publicidade

Publicidade