Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Meghan e Harry assinam contrato com Netflix

Com foco em "conteúdo que informa, mas também dá esperança", casal produzirá documentários, filmes, roteiros e até séries infantis para a plataforma

Por Da Redação - Atualizado em 16 set 2020, 13h36 - Publicado em 2 set 2020, 19h02

Em breve teremos a realeza na Netflix e eu não estou falando da nova temporada de The Crown. Como confirmou a Variety, o príncipe Harry e Meghan Markle deram avanço aos seus projetos em Hollywood e acabam de assinar um contrato com a plataforma de streaming para produzir documentários, filmes, roteiros para programas de televisão e até séries infantis.

Por meio de um comunicado, o casal declarou que seu foco “será a criação de conteúdo que informa, mas também dá esperança”, inspirado em seus trabalhos com diversas comunidades para iluminar pessoas e causas em todo o mundo. “Nossas vidas, tanto independentes um do outro quanto como um casal, nos permitiram compreender o poder do espírito humano: de coragem, resiliência e a necessidade de conexão”.

Entre as produções com temáticas sobre histórias e questões pertinentes para os Sussex, estão uma série documental já em produção sobre a natureza e uma série animada centrada em mulheres inspiradoras. Histórias destacadas pela organização Archewell, fundada pelo casal em abril, também poderão se tornar material audiovisual.

“Como pais, fazer uma programação familiar inspiradora também é importante para nós, assim como uma narrativa poderosa por meio de lentes verídicas e fáceis de se identificar”, continua o comunicado. “Temos o praz de trabalhar com Ted [Sarandos, co-CEO e diretor de conteúdo da plataforma] e a equipe da Netflix, cujo alcance sem precedentes nos ajudará a compartilhar conteúdo impactante”.

Sarandos também se manifestou, afirmando que “Harry e Meghan inspiraram milhões de pessoas em todo o mundo com sua autenticidade, otimismo e liderança. Estamos extremamente orgulhosos por eles terem escolhido a Netflix como seu lar criativo – e estamos entusiasmados em contar com eles histórias que podem ajudar a construir a resiliência e aumentar a compreensão do público em todos os lugares.”

O que falta para termos mais mulheres eleitas na política

Continua após a publicidade
Publicidade