Clique e Assine CLAUDIA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Laís Souza, atleta que ficou tetraplégica, está de pé com uso de aparelho

A ginasta ficou tetraplégica ao sofrer um acidente durante o treino de esqui aéreo para os Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, na Rússia, em 2014.

Por Alice Arnoldi
Atualizado em 15 jan 2020, 20h31 - Publicado em 10 abr 2019, 16h53

Exemplo de luta, Laís Souza usou o Instagram nesta quarta-feira (10) para postar uma foto do momento marcante que está vivendo durante a sua recuperação: a ex-ginasta está de pé com a ajuda de um aparelho estabilizador, mas sem precisar do apoio de ninguém.

Na legenda do clique, a atleta enumerou o que deseja para ter dias gostosos de viver e ressaltou a vitória conquistada. “Que a gente tenha: astral bonito; prece nos lábios; saudade mansinha; fé no futuro; conversa que cura; firmeza nos passos; SONHOS QUE SALVAM”.

View this post on Instagram

Que a gente tenha: astral bonito; prece nos lábios; saudade mansinha; fé no futuro; conversa que cura; firmeza nos passos; SONHOS QUE SALVAM. @neymarjr @estacio_brasil @dodamiranda @trampolim_studio

A post shared by Lais Souza (@lalikasouza) on

Laís iniciou a carreira como integrante da seleção brasileira de ginástica artística. Ela participou dos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004 e de Pequim em 2008, por exemplo. Porém, foi em 2014 que tudo mudou. Ela reinventou a carreira e conseguiu uma vaga nas Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, na Rússia, em que disputaria na categoria de esqui aéreo. 

Porém, na véspera da competição, Laís sofreu um acidente enquanto fazia um treino em Salt Lake City, nos Estados Unidos. “O choque contra as árvores me deixou desacordada. Quando abri os olhos, me assustei. Com todos os fios que alguém possa imaginar ligados ao meu corpo, um cano que me impedia de mexer a cabeça, num quarto de hospital, sem nem sequer saber direito o que estava fazendo ali”, relatou a ginasta em uma entrevista ao “Esporte Espetacular”

Continua após a publicidade

No site sobre a atleta, ela revelou que o primeiro desafio a ser superado foi conseguir respirar sem aparelhos. Para fortalecer o diafragma que havia sido prejudicado pelo impacto na medula, Laís cantava Ana Carolina o dia inteiro.

Ainda na página, a ginasta falou sobre como foi com o esporte que ela conseguiu seguir em frente mesmo após o acidente. “Hoje a minha rotina é ainda mais difícil do que a de um atleta. Mas foi a minha vida de esportista que me fez ter a disciplina e foco nos meus novos objetivos. […] Estou me reinventando mais uma vez e buscando uma nova profissão. Por tudo que passei e pela forma que encaro a vida, muitas pessoas me falam que passo uma imagem positiva e de superação. Fico feliz de poder ajudar outras pessoas a seguirem em frente!”.

Com esse foco, Laís tem usado o Instagram para mostrar a evolução da sua recuperação, treinamentos e deixar mensagem positivas a quem a segue.

View this post on Instagram

não importa o quanto você bate. mas sim, o quanto consegue apanhar e continuar. o quanto pode suportar e seguir em frente. é assim que se ganha. 🙏✌ #rockbalboa @neymarjr @dodamiranda @estacio_brasil

A post shared by Lais Souza (@lalikasouza) on

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de 14,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.