Jornalista Leila Cordeiro revive história de amor com ex-noivo

Após a morte do marido Eliakim Araújo, com quem foi casada por 30 anos, antigo amor voltou a procurá-la e agora estão juntos

Ao longo da vida, é comum pararmos de conviver com pessoas que antes nos eram imprescindíveis. Na maioria das vezes, essas relações se tornam apenas uma lembrança nostálgica – sem retorno de contato. Outras vezes, elas podem retornar para ela quando menos esperamos.

Foi o que aconteceu com a jornalista Leila Cordeiro, 60 anos. Após um casamento de mais de 30 anos com o também jornalista Eliakim Araújo – encerrado por circustância da morte do marido no ano passado –  ela reencontrou um antigo namorado de adolescência.

A história de amor dos dois, então, se reascendeu e Leila e o cirurgião-geral Wilson Pariz voltaram a ficar juntos após 42 anos separados, como relata coluna de Patrícia Kogut nesta quarta-feira (15). “Ganhei um presente de 60 anos: ser feliz de novo”, disse a jornalista.

Leila ficou conhecida na década de 1980 por apresentar ao lado do então marido Eliakim Araújo telejornais de emissoras como Rede Globo, SBT e TV Machete – como o Jornal Nacional.

A fama e o reconhecimento do trabalho do “casal 20” – como eram conhecidos os jornalistas na época – atravessou as fronteiras nacionais e os dois se mudaram para os Fort Lauderdale (EUA), onde viveram por duas décadas produzindo um telejornal para a CBS totalmente em português voltado para a comunidade de imigrantes local.

Com a morte de Elikam, em julho de 2016, causada por um câncer no pâncreas, a vida de Leila deu uma guinada que a jornalista não esperava.

À coluna, a jornalista revelou que, no passado, ela e o cirurgião-geral chegaram a ser noivos e tinham até marcado a data do casamento. No entanto, a união não foi concretizada e cada um seguiu rumos diferentes: ela se casou com Elikam e Wilson com sua ex-esposa.

Leia mais: Casal separado após a guerra se reencontra 70 anos depois

Porém, o reencontro despertou sentimentos adormecidos. Leila relata: “Wilson me procurou e, no início, eu pirei. E ele lá, firme, aguentando as minhas crises. Até que essa amizade com amor enrustido trouxe à tona um sentimento forte do passado e a gente se entregou a isso. É uma longa e bela história. Ele guardou fotos e cartas. Eu deletei. Nunca mais o vi, nem soube dele. Confesso que, para mim, foi muito difícil admitir que poderia amar de novo em tão pouco tempo. Mas resolvi enfrentar o desafio e aqui estamos velejando.”

No momento, Leila e Wison estão velejando em Angra dos Reis (RJ), no barco do médico. Assim eles devem seguir até 8 de março, quando ambos embarcam para os Estados Unidos, onde Leila cuida de seu site, mas já com a intenção de voltar para Brasil.

Leia mais: Romance de adolescência que 40 anos depois virou casamento