Livros para inspirar viagens

5 histórias que provam como pegar as malas e sair para ver o mundo pode ser transformador na vida de uma pessoa

Meus melhores companheiros de viagem são sempre os livros. Tanto faz se eles vão armazenados no e-reader ou se dividem o espaço da mochila com os resto dos meus pertences de viagem. Um bom livro traz aquela inspiração para as horas intermináveis dentro do ônibus ou esperando conexão no aeroporto, aqueles momentos de pernas pro ar na praia ou para quando você não está a fim de ver um filme dentro do avião. E o que pode ser melhor do que quando os próprios livros tem como tema viajar? Veja minha seleção de cinco livros preferidos (e inspiradores!):  

A volta ao mundo em 72 dias 

Reprodução Reprodução

Reprodução (/)

Antes que você se confunda com a obra de Julio Verne, já vou adiantando que a autora dessa façanha foi uma mulher. E em 1888, época em que não era muito comum encontrar mulheres fazendo a volta ao mundo por aí. Nelly Bly era o pseudônimo da jornalista americana que decidiu provar para os editores do New York World, jornal onde trabalhava, que ela era capaz de quebrar o recorde de Julio Verne. Nelly conta no livro suas impressões sobre inúmeros países e como foi desafiador viajar sem a companhia de um homem, uma aventura tida como impossível na época. Uma verdadeira inspiração para mulheres viajantes como nós, não é mesmo? 

Livre 

Reprodução Reprodução

Reprodução (/)

Ainda dentro dessa temática de mulheres que viajam sozinhas, há a obra de Cheryl Strayed, que inspirou um filme produzido em 2014, com a atriz Reese Whiterspoon como protagonista. No livro, Cheryl conta sobre sua extasiante jornada de autoconhecimento. Ela percorreu uma trilha que cruza a costa oeste dos Estados Unidos totalmente sozinha e sem ter tido qualquer experiência com longas caminhadas antes. Durante a leitura, temos a sensação de que estamos evoluindo e amadurecendo junto com a autora, que fica mais forte a cada obstáculo. A mescla entre a descrição da viagem em si, com lembranças e percepções de Cheryl a respeito da própria vida, é bem enriquecedora. 

O Grande Bazar Ferroviário 

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Quem já passou pela experiência maravilhosa de viajar de trem precisa incluir essa obra na lista de leitura. Paul Theroux compartilha com a gente o seu amor pelos trilhos e conta como foi fazer uma grande viagem de trem pela Ásia em 1975. Na obra, ao mesmo tempo em que ele admite o próprio choque que teve ao se deparar com culturas totalmente diferentes da sua, ele também fala em detalhes sobre os próprios passageiros do trem. E na minha opinião, o mais interessante do livro é justamente isso: mostrar como os encontros com desconhecidos fazem uma viagem ficar ainda mais especial. 

Comer, Rezar e Amar

Reprodução Reprodução

Reprodução (/)

Sempre que gosto muito de um filme, vou atrás do livro. Com essa obra de Elizabeth Gilbert, que inspirou o filme com Julia Roberts, não foi diferente. O livro é aquela inspiração extra que você precisa nas horas em que está meio indecisa. A experiência da autora de passar um ano em 3 países diferentes mostra como, em algumas situações, a única coisa que a gente precisa na vida é encarar o novo de peito aberto. Além de ser uma leitura leve, a obra também traz uma boa dose de otimismo, bom humor – e um poquinho de romance, vai –  para a nossa vida. 

Sidarta 

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Essa obra mereceria um texto só para ela. O texto do alemão Herman Hesse é bem profundo e ganhou o Nobel de Literatura em 1946. Na verdade, não acredito que seja um livro de viagens, mas sim um livro sobre transformação. Sidarta é um jovem que nasceu na Índia no século VI a.C e parte em peregrinação pelo país em busca da paz espiritual. Ele passa por experiências extremas e descreve sensações de um jeito tão detalhado que impressiona. Definitivamente, uma boa dica para quem adora obras que questionam o sentido da vida, mas sem entrar na temática de autoajuda. 

Esses 5 livros falam mais do que apenas sobre homens e mulheres que se arriscam a viajar sozinhos: eles falam sobre como uma jornada pode ser transformadora para qualquer pessoa. Faltou alguma obra na lista? Compartilhe com a gente!