CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS
Kika Gama Lobo Por Atitude 50 Focada na maturidade como plataforma pessoal, a jornalista Kika Gama Lobo escreve sobre as sensações e barreiras que as mulheres de 50 anos vivenciam

Não há duvidas: a sociedade adoeceu

Caso, chocante e perturbador, me levou para o lugar de fragilidade de todas nós mulheres

Por Kika Gama Lobo Atualizado em 13 jul 2022, 16h33 - Publicado em 13 jul 2022, 08h05

Estou enojada com tudo isso. A indefesa mulher, em pose ginecológica, no momento mais delicado e feliz de sua vida adulta, toma uma ejaculada na cara. Dopada, inconsciente, serve de potinho para o leitinho do anestesista. Alto lá: estuprador, né.

Estarrecida, mas o fato me levou para o lugar de fragilidade de todas nós mulheres. Uma lástima que não vai ter reparo para ela. Imagino a mulher – já recuperada da sala de cirurgia – lembrando a sua vida inteira desse engasgo. O bebê, se der umGoogle quando crescer, vai saber que nasceu fruto de uma imensa violência.

Esse médico, esse pênis, essa agressão é assustadora pois é recorrente. Sabemos que desde Eva somos um buraco para o bel prazer masculino. Somos violadas com olhares, gestos, falas e picas. E eu, após ler e reler a matéria e assistir às imagens que não calam, pensei: como um cara goza sem gemer? Como não se mexe? Como não sua, não dá uma bandeira maior?

Era colocar o pau na cara das parturientes e despejar seus podres poderes fálicos? E nas redes o sujeito só cresce. Uma espécie de ereção virtual com direito à comentários positivos. Não há nenhuma dúvida que a humanidade adoeceu. Só me resta agradecer àquelas enfermeiras e técnicas que deram o flagra no monstro da sala de parto. A ele, desejo que volte ao seio da mãe terra, afinal, não há perdão para tamanha monstruosidade. E puxo um rosário de Jairinho, goleiro Bruno, Joao de Deus, Roger Abdelmassih. Podiam todos ser anestesiados e congelados do convívio social.

Continua após a publicidade

Publicidade