Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Rachel Jordan Referência no mercado de consultoria de imagem, Rachel Jordan é especialista em comportamento profissional e atua como consultora, mentora e palestrante para empresas e pessoas que desejam desenvolver suas habilidades emocionais e alavancar a carreira. Co-autora do Livro À Sua Moda – 4Talks, Rachel também ministra cursos e workshops na área

Saiba como usar seu tom de voz a seu favor para evoluir profissionalmente

Colunista Rachel Jordan ensina técnicas de como usar a comunicação para crescer na carreira

Por Rachel Jordan Atualizado em 31 ago 2021, 17h46 - Publicado em 31 ago 2021, 17h45

Um dos mais importantes elementos da comunicação verbal, a voz ganha cada vez mais relevância na era digital. Hoje nos comunicamos por diferentes canais e, em muitos deles, a nossa voz é essencial para transmitir de forma clara e adequada a mensagem que desejamos passar aos nossos interlocutores.

Por ser um canal de comunicação natural, muitas pessoas não dimensionam a importância do tom de voz para as relações interpessoais, principalmente no que diz respeito à trajetória profissional.

Você já havia parado para pensar o quanto o seu tom de voz pode interferir na maneira como é visto em seu ambiente de trabalho? E mais: como essa forma de comunicação pode ser decisiva para sua ascensão profissional?

Veja também: Você sabe conversar? Veja como a comunicação não-violenta facilita a vida

Pois, acredite, o seu tom de voz pode, sim, interferir na sua trajetória profissional. Tudo porque ele revela muito sobre quem você é, sobre a sua personalidade e sobre a imagem que transmite por meio desse potente canal de comunicação.

Estudos feitos com base na psicologia apontam que por meio do nosso tom de voz é possível observar em uma pessoa habilidades como liderança, confiança, flexibilidade, sociabilidade, empatia, passividade, segurança e equilíbrio.

Até mesmo nosso estado de espírito pode ser avaliado em mensagens de voz, apresentações ou reuniões de trabalho. Aspectos como nervosismo, alegria ou tristeza podem ser facilmente notados por quem está nos vendo ou ouvindo.

Por todos esses motivos, é importante que comecemos a observar com mais cuidado o nosso tom de voz para não transmitirmos uma mensagem diferente daquela que realmente desejamos compartilhar ou até mesmo para evitar situações desagradáveis.

É claro que podemos, e devemos, ter uma entonação diferente para cada situação, expressando da forma mais adequada o que desejamos transmitir em determinada circunstância. No entanto, é importante mantermos uma coerência em nossa fala para que consigamos ter a nossa imagem associada a aspectos positivos pelo nosso tom de voz.

Continua após a publicidade

Se você não se sente segura com seu tom de voz e gostaria de melhorar a qualidade da sua fala, existem técnicas e exercícios que podem ajudá-la a se comunicar melhor. Um deles, por exemplo, é a respiração. Ela é uma importante aliada para ajudar na melhoria do seu tom de voz.

Uma respiração inadequada pode comprometer o volume e velocidade da sua voz, sua dicção e até mesmo vir a falhar quando você mais precisar que ela seja ouvida e compreendida com clareza.

Fazer pequenas pausas para a sua respiração durante as falas, apresentações, reuniões e conversas ajuda a manter sua voz numa modulação linear, além de permitir que seu interlocutor tenha tempo de assimilar tudo o que está sendo transmitido.

Abaixo algumas dicas para ajudar você a usar o tom de voz a seu favor:

Nas reuniões – Evite falar muito alto, pois, além de deselegante, pode intimidar seus interlocutores. Tente emitir um tom acolhedor e receptivo para que todos se sintam à vontade para ouvir e falar quando necessário. Por outro lado, o tom de voz muito baixo pode sugerir insegurança e fragilidade. Ter domínio do conteúdo que precisar compartilhar e treinar sua fala antes de uma reunião ou apresentação pode ajudar a encontrar uma entonação mais adequada e segura.

Tom e velocidade – É muito desagradável quando não entendemos direito o que um gestor ou colaborador está querendo comunicar devido ao tom ou velocidade da voz. Se você tem o hábito de falar rápido demais, fique atento.  Mesmo sem perceber seu tom de voz pode demonstrar ansiedade e, em alguns casos, até uma atitude autoritária de quem não se importa com o outro. Por outro lado, uma pessoa que fale muito devagar pode deixar seus interlocutores entediados e sem foco na mensagem que está sendo transmitida, além de demonstrar fraqueza e insegurança.

Comunicação em equipe – Se você é um gestor, é muito importante que saiba usar adequadamente o seu tom de voz. Num contato direto com um colaborador, ou com sua equipe, demonstre um tom de voz afetuoso e amigável. Se for um colaborador e precisa dar um feedback ao seu gestor, o faça com segurança por meio de uma voz firme, mas serena. Nas duas situações, o mais importante é ter autocontrole e conhecimento da sua voz para que ela seja usada a seu favor e não contra você.

Dicção e pronúncia – Elementos essenciais para uma comunicação clara e assertiva, pronúncia e dicção precisam ser muito bem trabalhadas, especialmente no ambiente de trabalho. Faça exercícios para melhorar sua entonação e leia textos em voz alta para se ouvir e identificar problemas no seu tom de voz.  Caso continue se sentindo insegura e insatisfeita, procure uma profissional especializada para ajudar ajudá-la a encontrar um tom de voz mais positivo.  

  • Continua após a publicidade
    Publicidade