Mitos e verdades sobre castração de cachorros e gatos

Na dúvida se submete o seu animalzinho ao procedimento? Veterinário garante que ele é benéfico à saúde dos bichinhos

Quando tomei a decisão de adotar uma cachorrinha – antes mesmo de encontrar a Belinda –, minha mãe logo disse que eu deveria castrar o animal. Confesso que no primeiro momento rejeitei a ideia. Afinal, quem sou eu para decidir sobre o corpo de outro animal?

No entanto, um pouco de reflexão e pesquisa me fizeram ver que, como dona dela, eu deveria procurar optar pelo procedimento para o seu bem. Não é à toa que nas feiras e perfis no Instagram de adoção é comum vir na descrição do bichinho quando ele já está castrado. Inclusive, a Belinda chegou lá em casa de roupinha cirúrgica para proteger os pontos, pois tinha sido castrada há pouco tempo.

Outro ponto positivo é que ela ajuda a diminuir a quantidade de animais abandonados. Segundo dados de 2014 da Organização Mundial de Saúde, existem cerca de 30 milhões de cães e gatos desamparados no Brasil. Diminuir os nascimentos impacta diretamente na redução desse número.

Ainda na dúvida se castra seu animalzinho? O veterinário Marcio Barboza, gerente técnico Pet MSD Saúde Animal, em São Paulo, explica alguns mitos e verdades relacionados ao tema para ajudar:

Animais castrados têm menos riscos de desenvolver doenças como o câncer

VERDADE

A castração reduz a variação hormonal sofrida pelos pets ao longo de suas vidas. Com isso, as chances de aparecimento de tumores de testículo, ovário mama e útero diminuem.

Fêmeas castradas podem desenvolver incontinência urinária

VERDADE

O problema é provocado pela ausência do hormônio estrogênio e acontece apenas em uma pequena parcela dos animais castrados. No entanto, o veterinário garante que atualmente existem medicamentos seguros que reduzem os sintomas sem gerar acúmulo no organismo dos bichinhos ao longo prazo.

Gatos e cachorros castrados tendem a ganhar peso

MITO

Sedentarismo aliado a uma alimentação rica em sedentarismo é o que causa obesidade nos animais, a castração não está relacionada.

A castração diminui as chances de fuga dos pets

VERDADE

A castração diminui as respostas a estímulos reprodutivos, que incluem fugas, agressividade com outros animais e até latidos excessivos.

Fêmeas devem ter ao menos uma cria antes de castrar

MITO

Essa necessidade não existe. Inclusive, é indicado que a castração seja feita ainda no primeiro ano de vida do animal.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s