Hospitais autorizam visita de animais de estimação a pacientes internados

O projeto Pata Amiga traz benefícios para a internação e já levou até cavalo para visitar dono em hospital

Hospitais em Porto Alegre estão autorizando que pacientes internados recebam visitas de seus pets. O projeto, denominado Pata Amiga, tem como objetivo deixar a internação mais tranquila e servir, também, como uma terapia.

O hospital São Lucas, da PUC-RS, foi um dos que permitiram os pacientes a receberem seus animais. Segundo a diretora assistencial da instituição, Simone Ventura, a capacidade de brincar e receber amor de um pet diminui o estresse.

Para participar, o paciente precisa estar a mais de sete dias internado e é necessária uma autorização do médico que atende o paciente. De acordo com o hospital, o processo é acompanhado por colaboradores e segue de acordo com o combinado com a família. Quanto ao animal, é preciso que ele esteja com as vacinas em dia, com atestado veterinário e estar de banho tomado.

 (Barbara Brady-Smith/Getty Images)

A enfermeira Roberta Marco, uma das coordenadoras do Pata Amiga, explicou que existem estudos sobre os benefícios psicológicos e fisiológicos das visitas dos animais de estimação para pessoas hospitalizadas.

“No São Lucas, as experiências vêm sendo muito positivas. Temos inúmeros relatos das equipes médicas sobre casos em que a ação trouxe uma grande e positiva evolução assistencial nesses pacientes”, explicou a profissional em entrevista ao G1.

Entre os outros hospitais que também tomaram a iniciativa, está o Hospital Centenário, em São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Há pouco mais de dois anos, a equipe médica conseguiu levar o cavalo de um paciente para visitá-lo.

Além desses dois hospitais, o Hospital Conceição e o Independência também permitem a visita de animais, de acordo com o Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre.

A visita abrevia a internação

Alzemiro Timm da Silva, de 84 anos, recebendo a visita da sua cachorrinha Júlia

Alzemiro Timm da Silva, de 84 anos, recebendo a visita da sua cachorrinha Júlia (G1/Reprodução)

Valquíria Inês Pacheco Martins, integrante da Gestão de Risco Assistencial do Hospital Nossa Senhora Conceição, reitera que, pelo fato de uma internação tirar a pessoa da sua rotina e privá-la de alguns hábitos em função do tratamento médico, a presença de um animal de estimação retoma o contexto de vida do paciente. Consequentemente, os benefícios ao paciente são vários, podendo, até mesmo, abreviar sua internação.

Marieta Pasqualotti é uma das pacientes do São Lucas que recebeu a visita de sua cachorra Phoebe. “Quando ficamos sabendo que poderíamos trazer a Phoebe, a nossa família ficou muito feliz e, no dia da visita, foi muito emocionante para todos. A mãe se emocionou ao ver ela”, revelou sua filha, Marilene, ao G1.

Alzemiro Timm da Silva, de 84 anos, estava internado no Conceição e recebeu a visita de sua cachorrinha Júlia, da qual é muito ligado, durante uma internação após sofrer um infarto. Alguns dias depois da visita, ele recebeu alta.

Leia também: Ursa ‘mais triste do mundo’ ganhou novo visual em santuário

Estes gatos que se conheceram pela janela são a coisa mais fofa

Siga CLAUDIA no Youtube