CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Associação de técnicas pode ser mais eficiente no combate à celulite

Entenda os tratamentos do mercado com as dicas de especialistas da Sociedade Brasileira de Dermatologia

Por Redação M de Mulher Atualizado em 20 jan 2020, 18h49 - Publicado em 26 ago 2010, 21h00
Associação de técnicas pode ser mais eficiente no combate à celulite

Celulite pode ter origem genética
Foto: Getty Images

O mercado de cosméticos tem várias ofertas de cremes que afirmam ser eficientes no combate à celulite, mas o dermatologista Aldo Toschi, conselheiro da Sociedade Brasileira de Dermatologia de São Paulo, alerta que nem sempre os produtos têm o efeito desejado para a estética. 

A dificuldade é que os furinhos têm um tratamento único, dependendo de cada caso, já que seu surgimento combina fatores genéticos e de comportamento.

Os consultórios médicos, porém, possuem diversos tratamentos que utilizam a associação de tecnologias diferentes como laser, radiofrequência, raios infravermelhos, ultrassom e massagens, que podem ser mais eficientes no combate ao problema. 

“A massagem dérmica ou drenagem linfática reduz o inchaço, melhorando a elasticidade e a tonificação cutânea; o uso de laser de diodo e dos raios infravermelhos reduz o tecido gorduroso; a aplicação de ultrassom favorece a quebra de moléculas de gordura e potencializa sua eliminação pelo suor e pela urina”, resume o especialista.

Continua após a publicidade

As emissões de ondas de radiofrequência são outra alternativa: elas aquecem e remodelam as fibras de colágeno reduzindo a flacidez, e a estimulação elétrica que fortalece o tônus muscular. Existem ainda os procedimentos de subcisão (um tipo de cirurgia dermatológica) e o uso de preenchedores (como o ácido hialurônico) que diminuem as depressões na pele.

Antes de testar algum tratamento, porém, é necessário fazer exames gerais e hormonais, para não correr riscos e acertar na escolha do procedimento.

Cardápio
Antes de enfrentar o consultório, porém, é preciso mudar hábitos alimentares e se exercitar. “Junto com o sedentarismo e a disposição genética, os alimentos inadequados geram celulite”, alerta Denise Steiner, também da SBD.

A profissional sugere o consumo de alimentos com lecitina (soja), ácidos graxos essenciais (salmão, amêndoas e azeite), aminoácidos (peixe branco, feijão, frango e legumes) e com vitamina C para criação do colágeno saudável (frutas cítricas), como forma de se evitar ou reduzir o problema.

Desaconselha também alimentos ricos em açúcar, sal, café e bebidas cafeinadas, álcool e alimentos como batatas fritas, pratos prontos e sopas enlatadas, entre outros, pois eles contribuem para o acúmulo de gordura.

Continua após a publicidade

Publicidade