“A beleza é aquilo que escolhemos enxergar”, diz Nina Pandolfo

No evento CLAUDIA Coaching, a artista plástica falou sobre a procura pelo belo e como encontrar beleza no que foge aos padrões

O que é essencial na sua vida? Com essa pergunta como norte, CLAUDIA promoveu, na manhã desta terça-feira (16), um ciclo de palestras e conversas inspiradoras. O CLAUDIA Coaching discutiu o que é indispensável para a mulher de hoje sob a ótica da artista plástica Nina Pandolfo, da psicanalista Maria Homem e da fotógrafa Marina Klink. A apresentadora Didi Wagner abriu o evento e participou do debate, que aconteceu no Museu Brasileiro de Escultura (Mube) e foi transmitido ao vivo pelo Facebook de CLAUDIA.

Leia também: 25 ideias para ser mais feliz agora

No primeiro bate-papo, ‘A beleza que está em seus olhos’, a artista plástica Nina Pandolfo, que se dedica à arte do grafite e expõe em galerias pelo mundo, incitou as mulheres a transformarem a forma como se veem. “A beleza está no olhar. Quanto mais você ensina o seu olhar a ver beleza, mais vê sua beleza e incentiva os outros a perceberem“, disse. “A estética reflete o sentimento que está dentro de você”.

Nina leu um e-mail inspirador que recebeu comentando sobre seu trabalho, em que uma mulher dizia que, na primeira vez que viu um de seus quadros, pensou que traziam “apenas bonequinhas com olhos grandes, mais nada”. Depois, entretanto, afirmava ter repensado a ideia ao constatar que sentia felicidade ao observar os quadros por mais tempo.

Leia também: Sete sinais de que precisa começar a pensar em você mesma

Cada uma das meninas coloridas com olhos grandes (marca registrada da artista) demora, em média, quatro meses para ficar pronta. “O que faz as minhas bonecas serem bonitas? Elas não usam maquiagem, não tem acessórios… ás vezes, julgamos a mulher ser bela pela maquiagem, acessórios, roupas que usa. Mas a beleza vai além da estética“.

Aos 12 anos, e já desenhando as meninas de olhos grandes, Pandolfo sofria bullyng por conta da sua aparência física: “Eu me sentia feia, mas achava as meninas que desenhava bonitas, mesmo sem seguir à risca padrões estéticos. Eu ouvia que eu era feia, o que feria minha alma. Comecei a pensar que eu as criava assim para serem únicas, então eu também devia ser única. Desde aquele dia, passei a me achar bonita – a procurar enxergar a beleza em tudo“.

Assista à palestra completa de Nina Pandolfo no CLAUDIA Coaching:

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s