11 dicas para melhorar a vida sexual na terceira idade segundo Harvard

Confira as dicas

Com o tempo, costumamos deixar muitos costumes e práticas para trás. O sexo, por exemplo, pode ser muito diferente na terceira idade. Mas se engana quem pensa que os mais velhos não podem ter uma vida sexual ativa.

Algumas medidas podem ajudar a melhorar o prazer da relação íntima para quem tem idades mais avançadas. A Escola de Medicina da Universidade de Harvard elaborou uma lista com dicas facilmente aplicáveis. Confira:

Leia mais: Atitude 50: Porn Revenge

1. Informe-se

É ideal manter uma relação comunicativa e muito aberta com o parceiro. Hoje em dia existem muitos materiais de autoajuda disponíveis no mercado que ajudam as pessoas a desconstruir preconceitos relacionados à sexualidade. É sempre bom procurar o que se aplica a você e ao seu par, mantendo ambos bem informados.

Se ainda tiverem algum tipo de inibição sobre o assunto e não queiram discutir de forma nua e crua, procurem conversar de forma mais indireta, mostrando passagens dos livros ou comentando algo que acharam mais interessante.

Leia mais: 50,9% das mulheres em idade fértil de SP já usaram pílula do dia seguinte

2. Dê tempo ao tempo

Quando o assunto é o orgasmo, até mesmo em idades menos avançadas pode ser difícil “chegar lá”. À medida que envelhecemos, no entanto, nossos reflexos sexuais ficam mais lentos, fazendo com que seja ainda mais demorado chegar ao ápice. Por isso, a dica é deixar rolar e apostar em um ambiente confortável, tranquilo e sem interrupções. Investir mais tempo e paciência pode te levar a novos lugares, além de diferentes experiências.

3. Lubrifique-se

A lubrificação é uma parte importante do sexo que pode ser prejudicada depois da menopausa, momento em que as mulheres passam pelo processo de secura vaginal. Sem uma lubrificação adequada, as relações sexuais podem ser dolorosas, podendo resultar em problemas de libido e até tensão entre os casais. Nesse caso, os problemas podem ser resolvidos com um bom gel lubrificante. E a boa notícia é: o mercado está recheado de géis com diferentes texturas, gostos, cheiros e finalidades. É só escolher o que se encaixa nos desejos do casal e colocar em prática.

Leia mais: Blogueira revela como superou trauma causado por estrias da gravidez

4. Seja uma pessoa afetuosa

O sexo às vezes pode vir isolado de afeições amorosas, mas, em uma relação estável, ele quase sempre está ligado ao carinho entre o casal. Manter um relacionamento afetuoso, distribuindo abraços e beijos pode ser uma forma de manter os vínculos físicos e emocionais das duas partes, evitando qualquer tensão.

5. Pratique o contato

Muitos terapeutas indicam técnicas de contato sensorial para recuperar a intimidade física sem sentir pressão. A ideia aqui é que o casal toque um ao outro enquanto se concentram cada um em suas próprias percepções. Com isso, a exploração da sexualidade trará mais conforto e proximidade na hora do ato.

Leia mais: Atitude 50: Sexo oral pode! 

6. Experimente posições sexuais diferentes do usual

Por mais que aquela posição seja mais confortável, ou mais fácil, procure aumentar seu repertório de posições. Você não precisa memorizar o kamasutra, mas explorar diferentes formas de fazer sexo deixa tudo mais interessante e ainda pode ajudar a superar certos problemas. Além disso, existem posições que facilitam o orgasmo feminino.

7. Escreva suas fantasias

Explorar aquelas ideias que acha excitantes para você ou para a pessoa com quem está sempre é um bom caminho. Usá-las para atingir um maior desejo sexual pode ser uma boa opção para casais que sentem menos excitação. Escrever essas situações e pensar nelas antes de fazê-las acontecer é um exercício bastante eficaz.

8. Experimente os exercícios de Kegel

Os exercícios de Kegel servem para fortalecer os músculos pélvicos, melhorando a condição física para o sexo. É muito simples: basta contrair os músculos que usamos quando seguramos o xixi, mantendo-os contraídos por dois ou três segundos para, em seguida, relaxá-los. Repita cinco séries de dez repetições por dia.

Leia mais: Esta calcinha foi criada para ser usada durante o sexo oral

9. Relaxe

Exerça atividades que te acalmem e que te façam sentir bem antes de começar uma relação sexual. Vale sair para jantar, praticar exercícios de relaxamento, como os de respiração, tomar uma bebida mais relaxante, ouvir um pouco de música. Estando relaxado, você se concentra mais no ato sexual e consegue perceber mais as sensações.

10. Vibradores

Os vibradores, quase mais diversos que os géis lubrificantes, podem ajudar as mulheres a se conhecerem melhor sexualmente. A partir do autoconhecimento, elas podem dizer aos parceiros o que as agrada. Os sex toys, como são chamados, também podem ajudar muito na própria relação, aumentando o prazer em algumas posições, já que muitos modelos são pensados para serem usados por duas pessoas, até mesmo durante a penetração.

11. Não se renda

Se mesmo com as dicas anteriores a situação não melhorar, não é preciso entrar em desespero. Procure uma opinião médica para que o profissional possa ajudar ou indicar um terapeuta sexual que, por sua vez, identifique o que está privando o casal de uma boa vida sexual.

Veja mais: Igreja de Portugal exige abstinência sexual para ‘recasados’

Siga CLAUDIA no Instagram