Igreja de Portugal exige abstinência sexual para ‘recasados’

Segundo cardeal, casais que estão em um segundo matrimônio estão em "situação irregular"

O cardeal de Lisboa, capital portuguesa, D. Manuel Clemente escreveu um documento aos fieis católicos que tenham se unido com alguém novamente após um rompimento no matrimônio. Ele pede que essas pessoas se mantenham sem relações sexuais para serem admitidos na comunidade religiosa, informa O Globo

O veredito foi feito em nome dos sacramentos da Igreja. Caso os fiéis não consigam obter o papel que anula a união anterior, o casal estará “em situação irregular” e, de acordo com a Igreja de Portugal, deve se manter sem praticar sexo. Caso contrário, eles não poderão se confessar ou participar da eucaristia, por exemplo.

Leia também: Cheiro do companheiro reduz estresse em mulheres, aponta estudo

O cardeal também disse como as pessoas que se casaram pela segunda vez no civil podem regular o acesso aos sacramentos.

Alguns podem ser reincluídos por meio de maior presença da comunidade ou participação em grupos de oração. D. Manuel Clemente defende que cada caso seja analisado exclusivamente.