Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Pesquisadores afirmam ter descoberto um jeito de reverter a menopausa

Eles desenvolveram uma técnica que visa estimular os ovários a voltarem a produzir óvulos

Por Redação CLAUDIA - Atualizado em 28 out 2016, 14h37 - Publicado em 25 jul 2016, 13h22

Para algumas mulheres, a menopausa começa mais cedo, com óvulos fertéis parando de ser produzidos antes dos 50 anos – e, ás vezes, até mesmo antes de chegarem aos 40 anos. Um estudo de pesquisadores gregos afirma ter descoberto como reverter esse processo, estimulando os ovários a voltar a produzir óvulos. A pesquisa, liderada pelo ginecologista Konstantinos Skafianoudis, foi apresentada em encontro da Sociedade Europeia de Embriologia e Reprodução Humana. 

Caso seja confirmada sua eficácia, a técnica poderá revolucionar o tratamento de fertilidade em mulheres. Ela consiste em injetar nos ovários plasma enriquecido com plaquetas (PRP), geralmente usado na recuperação de ossos e tecidos. De acordo com os pesquisadores, dessa forma, os ovários seriam estimulados a produzir óvulos. Eles afirmam que o tratamento foi testado em 30 mulheres, entre 46 e 49 anos, na menopausa, tendo sido eficaz em quase 70% delas. Os pesquisadores ainda não conseguem afirmar como o PRP age exatamente para estimular a produção de óvulos, no entanto. 

A descoberta ajudaria não apenas mulheres que gostariam de engravidar, mas também as que sofrem com complicações da menopausa precoce e recorrem à reposição hormonal. O estudo ainda deverá ser revisto, e especialistas apontam para supostas falhas no método da pesquisa, como a ausência de testes com animais antes de executar o tratamento em humanos, o que é recomendado para estudos de saúde. 

.
.

Continua após a publicidade
Publicidade