Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Nova pesquisa mostra aumento na eficácia da vacina de Oxford

Taxa se mantém até 90 dias após aplicação e cresce para 82,4% quando aplicada uma segunda dose

Por Da Redação 2 fev 2021, 19h15

Um novo estudo publicado nesta terça-feira (2) aponta que, três semanas após a primeira dose, a eficácia da vacina contra Covid-19 desenvolvida pela parceria Oxford/AstraZeneca é de 76%, porcentagem que se mantém até 90 dias depois da aplicação.

Quando aplicada uma segunda dose em um intervalo de três meses, a eficácia aumenta para 82,4%, valor maior que os 54,9% apontados anteriormente, quando o reforço era aplicado após um mês e meio.

Para Andrew Pollard, pesquisador-chefe do estudo, os novos dados fornecem uma confirmação importante das informações provisórias utilizadas pelos órgãos reguladores, como a Anvisa, que autorizaram o uso emergencial da vacina.

“O estudo também apoia a recomendação feita pelo Comitê Conjunto de Vacinação e Imunização (JCVI) [da OMS] para um intervalo de 12 semanas até a segunda dose, enquanto procuram uma abordagem ideal para implantação, e garante que as pessoas estejam protegidas 22 dias após uma dose única da vacina”, disse, segundo informações do G1.

Após ter autorizado a aplicação emergencial em janeiro com doses importadas da Índia, a Anvisa agora avalia o pedido de registro definitivo da vacina de Oxford. Uma vez que esse pedido seja aprovado e que os insumos comprados sejam entregues à Fundação Oswaldo Cruz, a previsão é que 50 milhões de doses sejam produzidas no país até abril.

  •  

    O que é mieloma múltiplo e como tratá-lo

    Continua após a publicidade
    Publicidade