Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Alimentação que ajuda a memória

Descubra quais são as atitudes e a alimentação adequada para melhorar a sua memória e evitar esquecimentos

Por Redação M de Mulher Atualizado em 21 jan 2020, 05h39 - Publicado em 20 out 2009, 21h00

Você anda muito esquecida? Preste 
atenção em nossas dicas!
Foto: Getty Images

Você tem se esquecido de coisas simples do dia a dia? O nome de alguém, o pagamento de uma conta, onde estão as chaves… Hum, você deve estar se esquecendo de comer os alimentos que fazem bem à sua memória.

Segundo o neurologista Cícero Galli Coimbra, boas refeições ajudam a evitar a diminuição das funções cerebrais e previnem o Alzheimer. “O cérebro em exercício e uma dieta adequada reduzem o desgaste do tempo”, diz o médico.

O que acrescentar ao cardápio

Mais peixe
Essa carne é rica em ômega-3, que melhora e preserva as funções cerebrais. Além de dar ânimo, ajuda na concentração e previne o estresse. 

Gema e espinafre
Uma gema tem 130 mg de colina, essencial para formar os neurônios. Além disso, é a base de outra substância fundamental para a memória e o aprendizado. Espinafre cru, nozes e soja germinada também têm muita colina. 

Continua após a publicidade

Cereais vitaminados
Aveia, arroz integral e massas à base de trigo são ricos em ácido fólico e vitaminas do complexo B, em especial a B6. Esses nutrientes são ótimos para a memória. 

A poderosa maçã
Anote aí: a fruta é a principal fonte de fisetina. Esse composto favorece o amadurecimento dos neurônios e estimula os mecanismos cerebrais associados à memória. Pêssego, kiwi, uva e cebola possuem o mesmo poder. 

Frutas vermelhas
Morango, amora, pitanga e as demais frutas vermelhas são fontes dos famosos antioxidantes. Eles são poderosos para combater radicais livres, inflamações e o envelhecimento das células.

Os inimigos da memória

A bebida
O álcool causa lapsos de memória, pode matar os neurônios e prejudica a formação de novas células cerebrais. 

O açúcar
Quem exagera nos doces eleva a produção de insulina. Isso provoca outras reações químicas que agridem os neurônios.

Continua após a publicidade
Publicidade