Polícia conclui inquérito do caso Neymar e Najila

Depois de várias idas e vindas no caso, delegada da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher encerra a investigação

O inquérito que apurava as acusações de estupro de Najila Trindade a Neymar Jr. foi concluído na tarde de segunda-feira (29). Depois de idas e vindas e várias novidades no caso, a delegada Juliana Lopes Bussacos, titular da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, decidiu não indiciar o jogador de futebol pelos supostos crimes.

No início do mês de julho, a Justiça acolheu o pedido da delegada para prorrogar o inquérito por mais 30 dias para que diligências complementares pudessem ser feitas.

Veja o que está bombando nas redes sociais

Bussacos solicitou ainda o acesso às imagens das câmeras de segurança do hotel em Paris, na França, onde Najila estava hospedada na noite em que o estupro teria acontecido, além do prontuário médico do ginecologista da modelo. Apesar de elas não terem sido entregues, a delegada encerrou a investigação.

Para o advogado de Najila, Cosme Araújo, a delegada se mostrou neutra ao finalizar o inquérito. “Ela estava com receio e, sem as provas, pedir arquivamento é uma temeridade. Ela não indiciou nem pediu arquivamento. Significa que ela não tomou uma decisão favorável ou contra”, disse ele ao UOL Esporte.

O relatório agora deve seguir para o Ministério Público, que irá avaliar a decisão de Bussacos e escrever um parecer. As conclusões do MP e da Polícia Civil servirão como base para a decisão final da juíza da Vara da Região Sul 2 de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher. O órgão terá 15 dias, a partir desta terça-feira (30), para se manifestar.

Relacionamento abusivo: saiba se você está em um no podcast Senta Lá, CLAUDIA