Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

MP denuncia João de Deus por violação sexual e estupro de vulnerável

Ministério Público de Goiás protocolou denúncia contendo depoimentos de 19 mulheres; investigações continuam

Por Da Redação Atualizado em 28 dez 2018, 17h30 - Publicado em 28 dez 2018, 17h14

Nesta sexta-feira (28), o Ministério Público de Goiás (MPGO) protocolou denúncia à Justiça contra o médium João de Deus, preso desde o dia 16 de dezembro em Aparecida de Goiânia  (GO) sob suspeita de cometer violência sexual durante atendimentos espirituais em Abadiânia (GO).

Em documento contendo depoimentos de 19 mulheres, o médium é denunciado por violação e estupro de vulnerável, conforme informações da TV Anhanguera. Na quinta-feira (27), a Justiça determinou o bloqueio de 50 milhões de reais das contas bancárias de João de Deus. A expectativa é que, na hipótese de condenação, o dinheiro seja usado para reparar as vítimas.

Leia mais: Mulher conta que foi abusada cerca de 20 vezes por João de Deus

João de Deus está detido na Casa de Custódia do Completo Prisional de Aparecida de Goiânia. Sua defesa pediu habeas corpus pelos crimes sexuais, o qual já foi negado pelo Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) e pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) em caráter liminar. O mesmo pedido foi feito ao Superior Tribunal Federal (STF), que até esta sexta-feira (28) ainda não havia decidido. 

A procuradora-geral da República Raquel Dodge chegou a posicionar-se contra a soltura do médium, em manifestação enviada ao STF na quarta-feira (26). 

O MPGO ouviu 79 mulheres, tendo recebido cerca de 500 mensagens sobre casos de abuso sexual envolvendo João de Deus. A Polícia Civil também conduz inquéritos para averiguar as denúncias contra o médium. Além disso, em outra linha de investigação, ele é suspeito de posse ilegal de arma de fogo. Na última semana, foram encontrados revólveres e quantias em dinheiro escondidos em endereços ligados a ele.

Leia mais: Em depoimento, João de Deus afirma não lembrar das mulheres que o acusam

*Com informações da TV Anhanguera. 

Continua após a publicidade
Publicidade