30 dias após crime, assassino de Rafael Miguel permanece foragido

A polícia investiga se Paulo Cupertino, que também matou pais do ator, está recebendo ajuda de outras pessoas para se manter escondido

Um mês após o assassinato do ator Rafael Miguel e de seus pais, o autor do crime ainda não foi localizado. Procurado pela Polícia de São Paulo, o comerciante Paulo Cupertino Matias, de 48 anos, é considerado foragido da Justiça.

Mais de 60 endereços em seis estados já foram verificados por policiais, mas o paradeiro do assassino permanece desconhecido. Além de São Paulo, as informações estenderam a área de busca para Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Goiás e Mato Grosso do Sul.

Fotos de possíveis disfarces que Paulo poderia estar usando também foram divulgadas pela polícia paulista. E uma tatuagem que diz “Marginal sempre marginal” no antebraço de Paulo se tornou uma das principais pistas para seu reconhecimento.

Simulações de disfarces que o assassino de Rafael Miguel pode estar usando

 (Polícial Civil/Divulgação)

Tendo colhido depoimentos de testemunhas – dentre os quais os de Isabela Tibcherani, namorada de Rafael, e sua mãe, Vanessa Tibcherani de Camargo –, a investigação se prepara para realizar a reconstituição do crime, ainda sem data marcada.

No dia 21 de junho, foi anunciado o bloqueio judicial da única conta bancária em nome de Paulo, a pedido da polícia. Os investigadores esperam que, sem conseguir movimentar o dinheiro, ele se entregue. Ao mesmo tempo, é apurada a possibilidade do comerciante estar sendo auxiliado por outras pessoas.

Paulo Cupertino tem passagens criminais por crimes de agressão e roubo. Para quem tiver informações, a polícia pede que contate o Disque-Denúncia através do número 181. A denúncia pode ser feita de forma anônima.

Entenda o caso

O ator Rafael Miguel, que interpretou o Paçoca de “Chiquititas“, morreu no dia 8 de junho, aos 22 anos, assassinado juntamente com seus pais.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, Rafael, acompanhado dos pais João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50, estava dando uma carona a Isabela, de 18 anos, até sua casa. Ao chegarem, Paulo se aproximou e matou os três.

Em depoimento na segunda-feira (10), Isabela contou que o pai tinha uma arma em casa há anos. Ela também afirmou que ele descobriu seu namoro com Rafael através de mensagens trocadas entre o casal em 2018 e proibiu o relacionamento, alegando que o ator “não era uma pessoa de bem”.

A mãe de Rafael abraçou o filho caído no chão, para tentar protegê-lo, e então também foi atingida e morta. Antes de fugir, o acusado, Paulo Cupertino, também matou o pai de Rafael.

No dia 11 de junho, a polícia localizou o carro que teria sido usado na fuga. O veículo é clonado e foi encontrado a cerca de 21 quilômetros do local do crime.

Rafael e seus pais foram enterrados no dia 10 de junho, no Cemitério Campo Grande, Zona Sul de São Paulo.