Pedro Cardoso deixa entrevista ao vivo em protesto à emissora

Ato acontece em apoio aos grevista da EBC e à atriz Taís Araújo, vítima de racismo pelo presidente da empresa

O ator Pedro Cardoso, 54 anos, abandonou uma entrevista ao vivo que seria transmitida pelo programa Sem Censura, da TV Brasil, na última quinta-feira (23). O ato foi um gesto de apoio aos funcionários grevistas da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC) e contra o presidente do grupo Laerte Rimoli, que recentemente compartilhou conteúdo de cunho racista sobre a atriz Taís Araújo, 38 anos.

No dia 14 de novembro, jornalistas e radialistas da EBC entraram em greve em protesto à proposta da empresa de congelamento de salários, retirada de direitos e corte de benefício.

“Não me cabe emitir opinião sobre quem está fazendo a greve e quem está trabalhando. Cabe a mim o maior respeito a todos você, os que estão parados e os que estão trabalhando e os que estão aqui. Mas diante desse governo que está no governando o Brasil, tenho a convicção de que essas pessoas que estão fazendo a greve estão cobertas de razão. Então eu não vou falar sobre o assunto que eu vim aqui falar ou de nenhum outro”, disse Pedro.

Racismo contra Taís

Outra polêmica citada pelo ator foi o conhecimento tido por ele sobre o caso envolvendo  Laerte Rimoli e Taís Araújo.

No domingo (19), o presidente da EBC compartilhou uma publicação de uma menina correndo ao avistar Taís com o filho dentro de um shopping. 

Leia mais: Leitora de CLAUDIA fala sobre o preconceito racial que sofre

A imagem ironiza o discurso feito pela global no TEDxSaoPaulo e que  viralizou nos últimos dias por conta das comemorações do Dia da Consciência Negra, no qual a atriz traz à discussão o racismo e como o preconceito faz com que a sociedade ainda veja cidadãos afrodescendentes como perigo. “Meu filho é um menino negro. Liberdade é um direito do qual ele não vai poder usufruir. No Brasil, a cor do meu filho faz com que as pessoas mudem de calçada, segurem suas bolsas, blindem seus carros.”

Inconformado com a chacota feita pelo presidente da EBC, Pedro rebateu. “O sangue africano está em todos nós. Se esta empresa, que é a casa dos brasileiros, tem um presidente que fala contra isso, não posso falar do assunto que vim falar”, disse momentos antes de deixar o sofá do programa.

Leia mais: Dia da Consciência Negra: Elza Soares lança clipe de ‘A Carne’

Além de Laerte, o secretário de Educação do Rio de Janeiro, Cesar Benjamim, também zombou da declaração de Taís. “Nossa maior conquista – conceito de povo brasileiro – desapareceu entre os bem-pensantes. Qualquer idiotice racial prospera. A última delas é uma linda e cheirosa atriz global dizer que as pessoas mudam de calçada quando enxergam o filho dela, que também deve ser lindo e cheiroso”

Após a repercussão do caso, Laerte apagou as publicações compartilhadas em sua página no Facebook e pediu desculpas à atriz. O secretário do Rio manteve suas declarações.

Leia mais: Conheça o Slam, a batalha da poesia

%d blogueiros gostam disto: