CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

“Eu não quis enganar”. Por que Meghan teve que pedir desculpas à Justiça

A duquesa disse que não tinha nenhuma intenção de enganar o tribunal em um depoimento tornado público

Por Da Redação 12 nov 2021, 14h32

Meghan Markle pediu desculpas à Justiça por se esquecer de contar que trocou e-mails com um assessor e informante dos autores da biografia não-autorizada sobre ela e o príncipe Harry, o livro “Finding Freedom”.

A duquesa disse que não tinha nenhuma intenção de enganar o tribunal em um depoimento tornado público na quarta-feira, 10, quando se esqueceu de e-mail trocados com o ex-secretário de comunicações de Harry, Jason Knauf. Ele assumiu para o tribunal que passou informações para Omid Scobie e Carolyn Durand, autores do livro.

Veja também: O vestido vermelho deslumbrante que Meghan Markle usou em Nova York

Knauf disse ao tribunal que o livro foi “discutido rotineiramente” e “discutido diretamente com a duquesa várias vezes pessoalmente e por e-mail”. Ele também disse conversou com Harry sobre o livro.

Segundo Knauf, Harry teria dito a ele que concordava que teria que ser capaz de dizer que não tinha nada a ver com aquilo. “Da mesma forma, fornecer o contexto certo ajudaria a divulgar algumas verdades”, teria dito o príncipe. Tanto ele quanto Meghan já negaram algumas vezes terem colaborado com informações para o livro.

Por isso, Meghan voltou atrás. “Aceito que o Sr. Knauf forneceu algumas informações aos autores do livro e que o fez com o meu conhecimento, para uma reunião que planejou com os autores na qualidade de secretário de comunicações. A extensão das informações que ele compartilhou é desconhecida para mim “, disse ela.

Continua após a publicidade

Publicidade