CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Meghan Markle busca apoio para campanha de licença familiar remunerada

Meghan Markle dá continuidade à sua luta por licença parental remunerada entre os senadores dos EUA

Por Da Redação Atualizado em 4 nov 2021, 20h18 - Publicado em 4 nov 2021, 19h00

Meghan Markle está chamando membros do Congresso em busca de engajar os senadores na campanha pela licença familiar remunerada. A duquesa de Sussex está ligando para senadores democratas e republicanos para conversar sobre a causa.

A senadora Shelley Moore Capito disse que estava dirigindo seu carro quando recebeu uma ligação com o número bloqueado. “Honestamente, pensei que fosse o senador [Joe] Manchin. As ligações dele chegam bloqueadas. Então, ela disse ‘Senadora Capito?, Aqui é Meghan, a Duquesa de Sussex'”, contou sobre o momento inusitado.

“Não consegui descobrir como ela conseguiu meu número”, disse ainda a senadora Shelley. Um porta-voz da senadora Kirsten Gillibrand, uma democrata de Nova York, confirmou à People que ela deu os números dos senadores a Meghan.

MEGHAN
(Foto: Chris Jackson)/Getty Images

Maine Susan Collins, senadora republicana, também recebeu uma ligação inesperada de Meghan. “Fiquei feliz em conversar com ela. Mas estou mais interessada no que as pessoas do Maine estão me contando sobre isso. Para minha surpresa, ela me ligou na minha linha particular e se apresentou como a Duquesa de Sussex, o que é meio irônico“, disse Susan ao Politico.

Segundo o veículo, a senadora Kirsten Gillibrand disse: “Conversei com cada uma das senadoras e lhes disse que ela entraria em contato, porque ela completou apenas duas das ligações. Ela vai ligar para alguns outros, então eu os aviso com antecedência.”

No último mês, Meghan escreveu uma carta defendendo a licença parental remunerada nos Estados Unidos endereçada ao senador Chuck Schumer e à congressista Nancy Pelosi.

O documento defende a licença familiar remunerada, ou seja, uma garantia federal de que os pais podem tirar férias compensadas após terem um filho.

Continua após a publicidade

Apesar do país estar entre os mais desenvolvidos do mundo, a licença parental remunerada não é garantida por lei e menos de um em cada quatro trabalhadores possuem o direito em suas empresas.

meghan-markle-herança-filha
Max Mumby/Indigo/Getty Images

Para ela, hoje os Estados Unidos enfrentam uma crise invisível sobre as mulheres e os cuidados com as crianças. “Nos últimos 20 meses, a pandemia expôs linhas de falha que existem há muito tempo em nossas comunidades. Em um ritmo alarmante, milhões de mulheres abandonaram o mercado de trabalho, ficando em casa com seus filhos enquanto as escolas e creches eram fechadas, e cuidando de seus entes queridos em tempo integral”, escreveu a duquesa de Sussex.

“A mãe ou pai que trabalha está enfrentando o conflito de estar presente. O sacrifício de qualquer um deles tem um grande custo”, disse Meghan, defendendo as férias familiares remuneradas.

Segundo a Fundação Archewell, a duquesa e seu marido, o príncipe Harry, tiraram 20 semanas de licença para cuidar de sua filha, Lilibet Diana“Sabíamos que poderíamos levá-la para casa e, nesse estágio vital (e sagrado), devotar tudo e qualquer coisa aos nossos filhos e à nossa família”, escreveu Meghan.

“Sabíamos que, ao fazer isso, não teríamos que fazer escolhas impossíveis sobre cuidados infantis, trabalho e cuidados médicos que tantos têm que fazer todos os dias”, continuou a duquesa.

“As famílias que você representa precisam de uma liderança forte”, pediu Meghan aos senadores. “A licença remunerada deve ser um direito nacional, e não uma opção de retalhos”, finalizou.

Continua após a publicidade

Publicidade