“Decidi não aceitar mais papéis de feia”, diz Ingrid Guimarães

Atriz relatou que chegaram a separar as "atrizes feias e bonitas" em camarins diferentes

A Ingrid Guimarães abriu o coração sobre a forma como as comediantes eram encaradas na televisão e os estereótipos atribuídos a elas. Em entrevista ao programa Lady Night, da Tatá Werneck, a atriz contou que chegou a recusar alguns papéis para se valorizar.

“Eu era sempre chamada para fazer secretária, empregada, porque na minha época as comediantes vieram de programas de humor onde a mulher era muito subjugada à feia ou gostosa. Quando eu fiz o programa do Chico Anysio, ficavam separadas as feias em um camarim e as gostosas de biquíni em outro“, revelou.

Leia também: Em rara aparição, filha de Ingrid Guimarães passeia com a mãe no RJ

“Chegou uma hora em que eu decidi não fazer mais papéis de feia ou de algum estereótipo. Disse para um produtor de elenco: ‘não me chama mais’. Neguei a personagem. Nesse esquete, o Didi (Renato Aragão) sonhava com a bonita e a feia. A bonita era a Danielle Winits, a feira era eu”, contou.

Leia também: Tatá Werneck fala sobre padrões de beleza, machismo e humor a CLAUDIA