CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS

Britney Spears perde batalha judicial e pai permanece com tutela

Decisão judicial não está relacionada com o depoimento virtual da artista realizado na última semana

Por Da Redação Atualizado em 1 jul 2021, 15h12 - Publicado em 1 jul 2021, 15h11

O pedido de Britney Spears para que seu pai não estivesse mais no controle de sua tutela foi negado por uma juíza do Tribunal Superior de Los Angeles, nos Estados Unidos, nesta quinta-feira (1). Com isso, Jamie Spears segue no controle de questões pessoais e comerciais da cantora. 

A decisão foi anunciada uma semana depois de um comovente apelo pessoal da cantora, durante uma audiência judicial virtual, para que a tutela abusiva tivesse um fim. Durante a sessão, que repercutiu fortemente nas redes sociais com o uso da hashtag #FreeBritney, a artista revelou que foi medicada para controlar seu comportamento, proibida de tomar decisões sobre amizades ou finanças e impedida de remover um implante anticoncepcional (DIU), apesar do desejo de ter mais filhos.

“Eu realmente acredito que essa tutela é abusiva. Eu só quero minha vida de volta. Já se passaram 13 anos e é o suficiente”, disse a cantora durante a audiência do dia 23 de junho.

De acordo com material consultado pela CNN, a decisão não está vinculada à mais recente audiência, da qual a estrela da música participou, e sim a um pedido apresentado em setembro passado pelo advogado da cantora para que a empresa de gestão de fortunas Bessemer Trust fosse adicionada à tutela, e seu pai removido.

“O pedido para suspender James P. Spears como curador imediatamente após a nomeação do Bessemer Trust Company of California como único curador dos bens é negado sem prejuízo”, afirma a juíza no processo judicial consultado. 

Ainda de acordo com as informações da CNN, o pai de Britney teria pedido ao tribunal para investigar as alegações da cantora de que ela foi medicada com lítio e obrigada a se apresentar contra sua vontade. 

A próxima audiência do caso está marcada para 14 de julho.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade