Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Isolamento social e namoro combinam? Veja como lidar nesse momento

Antes de tudo: calma. O autoconhecimento é fundamental para evitar conflitos e se entender, mesmo distante

Por Colaborou: Esmeralda Santos - Atualizado em 21 abr 2020, 15h06 - Publicado em 21 abr 2020, 14h00

 “Desde que a situação do COVID-19 começou, esse momento vem sendo o maior divisor de águas do nosso relacionamento”, diz Douglas Alves, que está há um mês e meio em isolamento social, por causa da pandemia.

O namoro a distância é um grande desafio para o casal que escolhe essa opção. Saber lidar com os obstáculos do namoro online é um desafio, mas a situação é diferente quando acontece não por uma escolha mútua, mas sim, por segurança e proteção.

O casal mora em São Paulo, e a coincidência amorosa já começa pelo nome – seu namorado também se chama Douglas, mas Soares, e os dois namoram há 5 anos.

O costume ‘dos Douglas’ era de sair frequentemente, visitar exposições, ir a shows e curtir os fins de semana juntos. A rotina agitada do casal foi totalmente alterada por causa da pandemia do coronavírus que chegou em São Paulo entre fevereiro e início de março.

“Estamos sempre conversando e achei que seria diferente na quarentena. Sentimos um baque no início, mas isso não mudou tanto com relação a conversas, percebemos que quanto mais conectados estivéssemos seria melhor”, diz Douglas Soares.

O isolamento social mexe com todos os sentimentos e sensações, e consequentemente essas alterações estão chegando nas relações amorosas e os casais tem sentido na pele – ou melhor, no namoro – o que é viver longe do seu companheiro (a).

Continua após a publicidade

“Sinto que a falta de contato nos deixa mais ansiosos e com isso as brigas se tornam mais constantes também. As brigas se multiplicaram porque por texto nem sempre as coisas são interpretadas da maneira correta”, relata Douglas Alves, que resolve os conflitos com o seu namorado via chamada de vídeo.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

– MINE ✨❤️ – – – #instagram #instagrambrasil #gaybrasil #gay #platinumhair #itboy #fashion #style #menstyle #creator #brazil #blond #love #style #creator #photography #influencer #hairstyle #lifestyle #fotografia #streetstyle #blogger #details #amazing #mensfashion #sp #jobsp #streetstyle #picoftheday #beard #vsco #vscobrasil

A post shared by Doug Soares (@dougsoares__) on

Aa psicóloga Lívia Marques, explica que é imprescindível que se evite conflitos. “É preciso entender os processos de confiança e diálogo do casal. Neste momento que estamos vivendo o que menos precisamos é gerar estresse e brigas, porque cada um está vivendo seu processo eugênico, de sofrimento”.

Continua após a publicidade

O casal tenta driblar a nova rotina mantendo um contato constante e reafirmando sempre que possível o que sentem um pelo outro. Essa seria uma das formas de afastar a insegurança que muitas vezes sentem por estarem longe.

“É nessas horas que vemos e sentimos com quem estamos nos relacionando, entender também se a pessoa se importa com você e manter vivo o relacionamento mesmo não se vendo”, argumenta Douglas Soares.

“Uma coisa que posso dizer é que o amor está mais forte, mesmo nesse momento turbulento. Precisamos estar para resistir a isso”, declara Douglas Alves.

Nem sempre a distância é o problema

Para Fernanda Ribeiro Melo, 22 que acabou de completar um ano de namoro com Jurandir de Britto Freire sobrinho, 25, estar longe nunca foi um problema. O casal namorou à distância durante 8 meses. “De certa forma temos um pouco de experiência em não estar o tempo inteiro juntos”, conta ela.

Os dois são de São Luiz, no Maranhão e quando começaram a se envolver Jurandir começou um projeto em que abriria uma hamburgueria na cidade de Imperatriz – a 10 horas de onde morava. “ Ele sempre ficava nesse vai e volta de uma cidade pra outra. E no meio disso eu pedi ele em namoro. Nos víamos uns 6 dias por mês, era horrível, mas depois de uns meses ele resolveu passar o local a diante e voltar pra cá”, conta Fernanda.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

Feliz um aninho, amo tu demais, meu peixinho 🐡💙

A post shared by 🌻 🍃 (@melooffs) on

Apesar de lidar bem com a distância pela experiência, Fernanda diz qual é o maior desafio durante a quarentena. “O pior é não saber quando vamos poder voltar a rotina comum de casal. É a parte mais estressante”.

A psicóloga Lívia diz que manter o contato por meio da internet é um ponto crucial para que o relacionamento se mantenha ativo.

“É bom ter uma conversa amigável, utilizar a internet, vídeo chamada, videoconferência é importante, combinar um horário ou um momento que seja possível para fazer isso. Não é necessário fazer o tempo inteiro porque pode se configurar algum tipo de controle e essa não é a necessidade, então precisa ter esse cuidado”, explica a profissional.

Continua após a publicidade

Mas um novo desafio chegava para ambos. No dia 19 de abril eles completaram 1 ano de namoro. Por causa da quarentena a troca de presentes e a viagem que planejaram para comemorar precisou ser adiada, mas sem data para acontecer. “Fiquei extremamente frustrada, mesmo já tendo consciência de que não íamos passar juntos, no dia em si foi bem pior. Parece que caiu a ficha de fato e eu me senti muito impotente sobre tudo”, conta a jovem, que planeja encontrar o namorado para comemorar o dia mesmo fora da data, e assim que possível morar juntos.

Para o casal Douglas Soares e Douglas Alves, os planos que tiveram que parar pelo isolamento serão retomados. “Aquela viagem que estava programada, mas nunca acontecia agora precisa acontecer! Já imaginamos quanto tempo vamos ficar abraçados e nos beijando na primeira vez que um ver o outro”, conta ele.

Pensar em si e se perceber nas individualidades

Lívia ressalta que o autocuidado merece atenção nessa quarentena. O isolamento mexe com todas as emoções, e a saúde mental é sempre a primeira a ser afetada nesses casos.

Além do contato pelas redes sociais e vídeo chamadas, é importante lembrar dos momentos legais que o casal já teve, rever fotos, mas pensar também em si, porque as vezes pensamos no casal como uma única pessoa, mas cada um tem sua particularidade, então pense no que você pode fazer por você e não foque apenas no relacionamento”, argumenta a psicóloga.

“O relacionamento pode se manter de forma saudável porque o amor continua. Alguns países têm incentivado para que esses relacionamentos continuem de forma virtual, para que o sexo, por exemplo, seja feito virtual. É importante que saibamos utilizar esse mecanismo para manter o relacionamento, e incentivar os processos de confiança”, diz.

Ela ainda ressalta que a distância pode tanto beneficiar como prejudicar um relacionamento, mas que se auto-analisar é fundamental para entender todos os processos. “Tem casais que não vão saber se perceber nas suas individualidades. Para outros, será bom porque vai acender algum tipo de chama para quando se encontrarem, aumenta a saudade. Então é importante se conhecer cada dia mais. Esse momento é de autoconhecimento de cada um”, explica Lívia.

Continua após a publicidade

 

Em tempos de isolamento, não se cobre tanto a ser produtiva:

Publicidade