CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Área externa: arquiteta dá dicas para decorar o espaço

Sugestões de pisos, cores e até estilo de móveis para deixar seu canto de relaxamento mais aconchegante e bonito

Por Nádia Simonelli Atualizado em 7 fev 2022, 13h28 - Publicado em 2 fev 2022, 09h00
áreas externas
Projeto do escritório Liana Tessler Arquitetura. Flavio Teperman/CASA CLAUDIA

Seja um espaço de lazer, um quintal ou uma varanda de apartamento, as áreas externas são ambientes cada vez mais valorizados nos projetos residenciais. Afinal, é lá que costumamos receber as famílias e amigos ou mesmo passar um tempo relaxando.

Para te ajudar a criar uma área externa confortável, segura e prática falamos com a arquiteta Liana Tessler, que compartilhou várias dicas com a gente. Confira logo abaixo!

Pisos

Escolha pisos com textura antiderrapante, principalmente para as áreas que molham (seja pela chuva ou pela limpeza) para evitar quedas. “Além disso, os pisos ajudam a compor os ambientes e dão um ar mais sofisticado ou rústico. Se a escolha for por um estilo rústico, é interessante, nesse caso, utilizar matérias-primas naturais, como pedras e argila”, explica a arquiteta.

Plantas

Dê preferência às espécies que sejam resistentes à exposição solar e que também possam receber água da chuva. “As mais indicadas, nesse caso, são: yuca, pata-de-elefante, cactus, suculentas, espada-de-são-jorge, alpínia, guaimbê, xanadu, fênix, cica, areca e moreira, mas também as árvores frutíferas, como a pitangueira, jabuticabeira e amoreira. Outras ótimas indicações de plantas para área externa são as das famílias dos filodendros, como, por exemplo, a costela-de-adão. Maranta também é uma boa escolha se optarmos por algum tipo de forração”, aconselha Liana.

Materiais

áreas externas
Projeto do escritório Liana Tessler Arquitetura. Rafael Renzo/CASA CLAUDIA

Liana Tessler recomenda investir em matérias-primas naturais e resistentes às mudanças climáticas (sol e chuva) e ao desgaste que acontece pelos raios solares. Elementos como madeira, bambu, fibra, metal, vidro, pedra e tecidos impermeáveis são os mais indicados.

Manutenção

áreas externas
Projeto do escritório Liana Tessler Arquitetura. Rafael Renzo/CASA CLAUDIA

Apesar de resistentes, os materiais que compõem as áreas externas precisam de cuidados e manutenções periódicas. “A madeira, por exemplo, precisa ser impermeabilizada para ficar protegida da degradação de agentes externos, além dos estofados e  que tenham metal em sua composição — que também deve ter um preparo especial”, diz a profissional. Sem esses cuidados, eles apodrecem e enferrujam.  

“Os cuidados com a coloração e textura original dos objetos e estofados também devem ser levados em consideração, pois a exposição à ação do tempo pode deixá-los desbotados, manchados e endurecidos”, completa.

Continua após a publicidade

Conforto

“Como esse é um espaço destinado ao lazer e aos momentos de descanso, o ideal é investir em móveis espaçosos e confortáveis, nos quais seja possível relaxar, como poltronas, espreguiçadeiras, pufes, cadeiras de balanço e até bancos, principalmente os estofados”, diz a arquiteta.

Uma dica: as poltronas suspensas estão super em alta e têm várias opções confortáveis em modelos diversos!

Design

áreas externas
Projeto do escritório Liana Tessler Arquitetura. Flavio Teperman/CASA CLAUDIA

“O estilo minimalista e a presença de cores neutras são uma forte tendência de design. Ainda assim, independentemente de qual seja o seu estilo, é importante seguir a mesma linha nos ambientes internos e externos, ou seja, replicar elementos como cores, acabamento e estilo dos móveis para criar uma harmonia entre os espaços”, explica Liana.

Os móveis com formatos arredondados e orgânicos também são tendência e podem ser usados nos espaços externos para imprimirem um visual aconchegante. “E para aderir a essa tendência você não precisa comprar um móvel novo, você pode reaproveitar o que já tem e investir apenas em uma reforma”, indica.

“E mais, como nesses ambientes há muita circulação de crianças e de animais de estimação, é importante ficar atento às formas pontiagudas para evitar acidentes. Então, cubra as quinas dos móveis com protetores específicos que podem ser encontrados em lojas de material de construção e na internet”, recomenda a arquiteta.

Cores

áreas externas
Projeto do escritório Liana Tessler Arquitetura. Rafael Renzo/CASA CLAUDIA

Responsáveis por dar vida aos ambientes e causar sensações e emoções, a escolha das cores faz total diferença. “Evite as muito escuras, pois elas absorvem o calor. Dê preferência a tons terrosos, pastel e que remetem à natureza, para criar um ambiente confortável e harmônico. Mas, se preferir investir em cores mais vivas, utilize o círculo cromático e trabalhe com as complementares, que combinam entre si e deixam o ambiente mais alegre”, ensina Liana.

Iluminação

Para deixar o espaço mais aconchegante, a iluminação amarelada ou quente é a mais indicada. “As arandelas também são ótimas para compor ambientes externos, principalmente as de piso, que podem fazer caminhos que valorizem o projeto paisagístico. Além disso, você ainda pode investir em um varal de luzes. Fica lindo!”, finaliza.

Continua após a publicidade

Publicidade