CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Guia completo de óleos capilares para acabar de vez com as dúvidas

Queridinhos nos salões e redes sociais, os óleos capilares podem te ajudar a ter fios mais bonitos

Por Nathalie Páiva Atualizado em 2 Maio 2022, 11h11 - Publicado em 2 Maio 2022, 09h38

Ter um cronograma capilar eficiente é o primeiro passo para fios saudáveis, brilhantes e livres de frizz – e quando o assunto é cuidado, os óleos capilares são praticamente obrigatórios. Mas, afinal, quais as melhores opções? Quando e como devemos, de fato, utilizá-los? Para responder essas e outras dúvidas, conversamos com o visagista capilar, Rodolfo Iglesias e com a terapeuta capilar, Yasmin Merlin. Confira:

Veja também: Para riscar da rotina: 5 erros ao usar o condicionador

Afinal, quando o uso do óleo capilar me ajuda?

óleos capilares em base de marmore
Óleos capilares ajudam no controle do frizz. |Foto: Vera Livchack/Getty Images

São vários os usos do óleo capilar, desde a utilização depois de estilizar só para reduzir o frizz, até a umectação capilar, mas qual o poder de fato deste produto? Rodolfo elenca as principais funções: “O óleo capilar é extremamente importante para os fios, ele repara as cutículas, alinhando-as novamente, e devolve toda flexibilidade que precisamos para o cabelo ter mais movimento e brilho”, diz.

A especialista Yasmin também completa: ”O óleo capilar ajuda no controle do frizz, protege o fio contra o ressecamento preservando sua umidade e auxilia na nutrição da haste capilar”, informa. 

De acordo com o visagista, os óleos capilares atendem todos os tipos de cabelos, com duas exceções. “Apenas para pessoas que tenham um corte extremamente curto ou raspado o uso não é recomendado. Fora isso, o óleo é utilizado na zona dois e três – no caso, comprimento e pontas”, diz. “Com isso, entendemos que mesmo quem tenha raiz oleosa poderá usar o óleo diariamente. Quem é responsável pela raiz são os xampus, equilibrando o PH do couro cabeludo e limpando os fios e a região. A raiz pode ser oleosa, mas nunca vamos ver pontas oleosas, principalmente quem tem algum tipo de química”, pontua. 

Com que frequência posso usar o óleo capilar?

Óleo capilar sendo aplicado nas mãos
Óleos capilares podem ser usados todos os dias. |Foto: Irya Veklich/Getty Images

A terapeuta capilar recomenda o uso diário do produto com algumas considerações: “O uso é diário, você apenas deve se atentar na maneira correta de aplicação que é do comprimento às pontas e sem exagero na quantidade em fios mais finos onde o produto possa ‘pesar’ ficar com aspecto pegajoso”, alerta. 

Continua após a publicidade

Se você gosta de praia e lugares com maior ventilação, Rodolfo orienta aumentar a aplicação. “Os óleos capilares podem ser utilizados diariamente em média de três vezes ao dia. Quanto mais exposto for o cabelo ao vento, sol e maresia mais vezes a aplicação diária”, complementa. 

Todo óleo é igual?

Frascos de cosméticos capilares
Óleos essenciais capilares são os melhores para tratar os cabelos |Foto: Viktar Savanevich/Getty Images

Mas, afinal, todo óleo capilar é igual, ou existem opções melhores e piores? “Os melhores são os óleos essenciais e extremamente refinados em nano partículas para uma absorção eficaz dos fios. Alguns óleos tem a base de silicone, mas esse tipo de produto não trata os fios profundamente até o córtex ou a medula – ficam apenas nas cutículas dando brilho. Os óleos podem ser misturados em máscaras de tratamento para potencializar a nutrição, porém não podem ser depositados na raiz, sendo assim não podendo ser misturados com shampoo ou sérum”, orienta Rodolfo. 

Seja para os lisos ou cacheados – que são mais secos e porosos – o ideal, de acordo com os especialista, é investir nos produtos puros ou extra virgem, com composição 100% vegetal, como o de abacate. O óleo de macadâmia ou de marula são ótimas pedidas para quem precisa de reparação intensa, o de rícino é excelente para fortalecer os fios e o de argan confere mais brilho e reduz o frizz causado pelas pontas duplas.

E o óleo de coco?

Apesar de queridinho na culinária e na beleza, o óleo de coco como vemos em casas de produtos naturais não é a melhor escolha para os fios. “Quem faz mechas ou coloração costuma usar o óleo de coco natural para proteger os fios mas, infelizmente, ele não tem essa capacidade! Ele não é processado e refinado o suficiente para absorção dos fios. Alguns óleos de marcas profissionais contém óleo de coco, mas há todo um processo necessário na elaboração do produto para que o fio absorva cada partícula na hora do uso”, explica Rodolfo.

Como usar?

Para ter os benefícios dos óleos, basta aplicá-los diariamente no comprimento. No entanto, existem opções que podem vir antes ou depois do processo de secagem, e que são mais indicados para cada tipo de fio. “Pode ser usado das duas maneiras. No caso de cabelos cacheados, usamos quando molhados para contribuir para o desembaraço. Já em fios lisos e ondulados, quando secos, o uso do óleo auxilia na manutenção do brilho e controle do frizz, conta. “ O ideal é utilizar produtos com ação UV e antipoluição, após o uso de fontes de calor, a não ser em casos onde o produto possui proteção térmica já preparada para proteger seu fio de fontes de calor”, ressalta Yasmin.

Seus fios estão muito danificados? Então você pode fazer a chamada umectação capilar, que Rodolfo explica abaixo. Confira:

  • Com os cabelos limpos e secos, aplique uma quantidade mais generosa nas pontas envolvendo todos os fios com o óleo de tratamento.  Deixe agir por no mínimo seis horas. Para retirar, após o tempo de umectação basta lavar a cabeça deixando primeiro cair água corrente abundantemente, massageando todos os fios de cima para baixo. Aplique o xampu e, em seguida o condicionador ou máscara de tratamento. Para ter sucesso na hidratação faça o todo procedimento durante oito semanas como recomendam as marcas especializadas em beleza. 

 

Continua após a publicidade

Publicidade