Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Novo golpe nas redes sociais pode roubar até suas informações bancárias

Os 90% de desconto anunciados na loja Ray-Ban podem dar mais dor de cabeça do que você imagina

Por Da Redação 19 jun 2018, 21h59

Por mais que nos ajudem muito, as redes sociais podem espalhar notícias falsas e facilitar golpes de criminosos. Recentemente um novo golpe tomou conta das redes no Brasil. Se você viu algo sobre um enorme desconto nos óculos da marca Ray-Ban, nem chegue perto do site, é tudo um grande esquema.

Os 90% de desconto anunciados por várias postagens em contas no Facebook e Instagram são, na verdade, uma história criada por criminosos para chamar atenção. Por mais que esse tipo de crime nessa época aconteça mais em países próximos ao inverno, ela acabou chegando no nosso país.

O golpe funciona assim: os chamados cibercriminosos invadem as contas das pessoas nas redes sociais e postam fotos dessa enorme promoção e, já que você confia em quem postou, você segue os passos para conseguir o desconto. O link veiculado nessas postagens te leva para um site aparentemente confiável e pede que faça uma conta. É ai que eles roubam informações suas.

Leia mais: Saiba quem é brasileiro identificado em vídeo machista

Só que não para por aí: assim que você escolhe as peças que quer e vai completar as informações de pagamento, os bandidos entram novamente em ação e roubam todos os seus dados bancários. No total, já foram identificadas seis páginas falsas com a mesma temática, de acordo com Emilio Simoni, diretor do laboratório da PSafe especializado em cibercrime.

Além disso, o login ainda facilita o acesso ao seu próprio perfil do Facebook, já que você pode se conectar no site (e na promoção) através da rede social.

Existem também outros lugares onde você pode ver essa promoção por aí. Os criminosos tês espalhado essa notícia por SMS, email e em publicidade de outros sites.

Leia mais: Em rara aparição, filho fofo de Danielle Winits é sucesso

Continua após a publicidade

Ao UOL Tecnologia, Thiago Marques, analista de segurança da Kaspersky, afirmou que “esse é um clássico exemplo de ataque hacker. É provável que as contas que postaram a mensagem tenham sido invadidas. Isso acontece pelo uso de senhas fracas que podem ser facilmente quebradas ou ainda por aplicativos maliciosos instalados no celular da vítima e vinculados à conta do usuário”.

Esse tipo de divulgação nas redes sociais é vantajoso para os criminosos porque posta no perfil de um usuário comum, dando mais credibilidade para a promoção. “Se o cibercriminoso tiver acesso à conta do usuário, ele pode realizar as publicações de diversos modos, agindo como se fosse o próprio dono da conta”, diz Thiago.

Só que, a partir do momento que o criminoso já teve acesso à conta da vítima, ele pode postar mais notícias e golpes sempre que quiser. Existe até a possibilidade do cibercriminoso pedir resgate pelo perfil da vítima.

Leia mais: Sobrinha de Lady Di usou tiara do casamento da tia para subir ao altar

Mas como se proteger desses golpes e de ter suas contas invadidas por criminosos? O analista adverte que é necessário utilizar senhas seguras (compostas de letras maiúsculas, minúsculas, números e caracteres especiais), ativar a autenticação de dois fatores nas contas em redes sociais e ferramentas de proteção (como antivírus para computadores e celulares).

No geral, as recomendações de segurança valem para todos os usuários de redes sociais, tanto os que caíram no golpe, quanto os que querem evitá-lo. Mais uma dica é ficar sempre de olho em promoções extremamente vantajosas. A chance de serem falsas é muito grande.

E se meu perfil já foi usado para esse fim criminoso? “Apague a foto de seu perfil e impeça que outros também cliquem no link do site fraudulento. Depois, desvincule sua conta de todos os aplicativos que usem essa conta, para que os cibercriminosos não tenham mais acesso a nenhum dado seu”, afirma Thiago.

Veja mais: Por que a rainha Elizabeth II usa roupas tão coloridas

Siga CLAUDIA no Instagram
Continua após a publicidade
Publicidade