Dicas de organização da consultora Micaela Góes, do Santa Ajuda

Em visita à redação de CLAUDIA, ela compartilhou truques valiosos para colocar tudo no lugar aí na sua casa

Na última terça-feira (11), recebemos a consultora de organização Micaela Góes na redação de CLAUDIA para um bate-papo sobre organização. Conversa vai e conversa vem, a apresentadora do programa Santa Ajuda, do GNT, compartilhou truques valiosos para colocar um ponto final definitivo à bagunça da casa.

Se perdeu a transmissão ao vivo via Facebook Live, não se preocupe! Listamos as melhores dicas logo abaixo:

Trace metas possíveis 

“Não adianta tirar um dia para arrumar todos os cômodos de uma só vez, porque é impossível!”, diz Micaela. Para a expert, é preciso separar a bagunça. Por exemplo: em um dia, organize a geladeira. No outro, as gavetas da cozinha. E assim sucessivamente. A ideia é que não bata o desânimo e a arrumação fique pela metade. “Além de ainda mais confusão entre os objetos, você se sentirá frustrada”, explica.

Faça uma triagem!

Por onde começar? “Separe o que fica, o que será doado e o que será jogado no lixo”, ajuda a consultora. No programa Santa Ajuda, os pertences são separados em baldes de cores diferentes para facilitar. Com a certeza do que permanece, você está pronta para colocar tudo no lugar.

Veja também

Setorizar é importante

Exatamente por isso, setorizar é importante. “A bagunça começa quando temos um objeto em mãos, mas não sabemos qual o lugar certo para guardá-lo. E então, jogamos em qualquer canto”, argumenta. Para ela, a partir do momento que tudo tem um espaço determinado, fica mais fácil cultivar o hábito da arrumação.

Dica de ouro: guarde os objetos nos cômodos em que são mais usados. “Por exemplo: não faz sentido guardar seu grampeador na cozinha, se costuma precisar dele enquanto trabalha no escritório. Parece óbvio, mas te fará ganhar tempo no dia a dia”.

Crie um hábito

Rotina é fundamental para os bagunceiros de plantão. Nos primeiros dias, será importante se condicionar a guardar tudo, mas Micaela garante que o movimento se tornará natural com o passar do tempo.

Envolva as pessoas da família na arrumação

“Eu nunca jogo os brinquedos da minha filha no lixo sem autorização, por exemplo. Precisamos respeitar o espaço do outro”, diz a consultora. Para que a mudança seja efetiva, as pessoas devem se sentir parte daquilo e prontas para se desapegar. Faz todo o sentido, não é?

Assista ao vídeo na íntegra!

Curta a nossa página do Facebook para receber alerta de novas transmissões ao vivo e não perder nadinha! 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s