Chamada de ‘gostosa’ em obra recebe indenização de R$ 8 mil

Justiça condenou construtora a pagar valor pelo assédio cometido por funcionário terceirizado

A dentista Jéssica Mendes, de 29 anos, moradora da Barra da Tijuca, no Rio, caminhava para a academia quando um pedreiro começou a assediá-la com palavras como “gostosa” e “que bundão”.

Já era o quarto dia em que ele dizia palavras constrangedoras, piadas e ofensas, e a dentista respondeu com “Cala a boca!”. Depois disso, o operário passou a ameaçá-la e a xingá-la, chamando-a de “vagabunda” e de ”piranha”, como contou ao G1.

Ela registrou um boletim de ocorrência, mas, mesmo assim, o assédio continuou em outros dias.

Leia também: Com ciúmes, homem mata ex-mulher que mudou corte de cabelo

Ela disse ter ouvido palavras constrangedoras de outros três operários no mesmo canteiro de obras da construtora que prestava serviços ao BRT carioca.

Após dois anos, a Justiça do Rio condenou a empresa EIT Engenharia S/A, responsável pela obra, a pagar cerca de R$ 8.000l para a vítima.

Segundo informações do G1, a empresa não respondeu às tentativas de contato para comentar a condenação.

Leia também: Como cumprir as resoluções de Ano Novo