CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Linhagem brasileira: nova mutação do coronavírus é descoberta no Amazonas

Pesquisas da Fiocruz indicam que nova variante da Covid-19 é fruto de diversas mudanças

Por Da Redação Atualizado em 1 fev 2021, 12h50 - Publicado em 12 jan 2021, 15h48

Pesquisas realizadas na Fundação Oswald Cruz (Fiocruz), da Amazônia, mostram nova variante do novo coronavírus encontrada em pacientes japoneses, que estiveram no estado do Amazonas. As mutações encontradas são novas, cientistas comentam que foi criada uma provável linhagem brasileira – de acordo com o site UOL.

Dados apontam que a linhagem B.1.1.28, presente em todo País e mais frequente no Amazonas, é fruto de diversas mudanças.

Ainda não é certo, mas a mutação pode ter um nível maior de transmissão, visto que as novas duas evoluções da doença são da proteína Skipe que faz a ligação do vírus às células e está relacionada com a capacidade de transmissão do SARS-CoV2 (coronavírus), segundo cientistas.

Manaus vive uma segunda onda da Covid-19, com aumento de hospitalizações e casos. O chefe-executivo David Almeida disse que o sistema público enfrenta um novo colapso.

Há carência de oxigênio para pacientes internados de acordo com o governador Wilson Lima. Eduardo Pazuello, ministro da Saúde, visitou Manaus e prometeu auxílio para suprir a carência.

Felipe Naveca, pesquisador da Fiocruz  Amazônia, e também coordenador do estudo, diz que o  sequenciamento do vírus feito no Japão foi comparado com as amostras do banco de dados da Fundação coletadas entre abril e novembro do ano passado. Amostras de dezembro estão na fase final de análise no Estado, e vão ajudar a entender melhor atuação das mudanças do vírus na nova onda de casos.

Na segunda-feira (11), Manaus atingiu o recorde de enterros já registrados na cidade: 150 em apenas um dia (57 confirmados com Covid-19). Hospitalizações chegaram a 250, antes da segunda onda o máximo era 40. São 1.994, pacientes internados com a doença ou suspeita, sendo 545, na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Não há mais vagas para pessoas doentes precisam esperar uma desocupação por morte ou alta.

Continua após a publicidade

O Amazonas já chegou a 216.112 casos confirmados e 3.758 óbitos por Covid-19.

 

 

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade