Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Uso de 2 máscaras é mais eficaz contra coronavírus?

Recente estudo aponta que o uso de uma máscara de tecido por cima de uma máscara cirúrgica diminui as chances de contágio do coronavírus

Por Da Redação 12 fev 2021, 16h41

Segundo um estudo conduzido e divulgado pelo Centro de controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) na quarta-feira, 10, o uso da máscara de tecido sobre uma máscara cirúrgica pode diminuir as chances de contágio do coronavírus Sars-Cov-2, aumentando a proteção e fazendo a eficácia subir para 90%. De acordo com o estudo, se todas as pessoas estiverem usando duas máscaras enquanto interagem entre si, a proteção sobe para 95%.

Os experimentos também concluíram que uma única máscara cirúrgica bem ajustada ao rosto aumenta a eficácia para mais de 90%. No entanto, para que isso aconteça, o ideal é que não haja vãos entre a pele e a proteção, podendo fazer o uso de um nó na orelha.

Segundo os pesquisadores que elaboraram o estudo, a máscara, quando bem ajustada ao rosto, previne o vazamento de ar pelas bordas, o que evita a passagem de gotículas de saliva e de aerossóis [pequenas gotículas de saliva que ficam por mais tempo suspensas no ar], que podem ser expelidas por uma pessoa contaminada pelo Sars-Cov-2 e disseminar o vírus para quem estiver perto e inalar o ar.

Atualmente, a principal forma de transmissão do vírus entre as pessoas é através das gotículas de saliva e aerossóis. Assim, o uso da máscara é essencial para combater a pandemia.

“Esforços inovadores para aumentar o ajuste das máscaras de tecido e cirúrgicas e, assim, melhorar sua performance merecem atenção”, afirma o texto dos pesquisadores.

Os cientistas destacam no texto que o estudo tem suas limitações e esclarecem que seus resultados podem não se adequar a todos os tipos de máscara, visto que fizeram os experimentos usando apenas um tipo de máscara cirúrgica e um tipo de máscara de tecido, sendo que há tipos variados da proteção no mercado.

Estudos anteriores já indicavam que máscaras com mais camadas oferecem maior proteção contra o vírus. Uma das pesquisas mais recentes do CDC publicada na revista científica Aerosol Science and Technology em dezembro de 2020, mostrou que máscaras feitas com três tecidos de algodão têm a eficácia de barrar 51% dos aerossóis expelidos por uma pessoa enquanto tosse. Em uma mesma situação, uma máscara cirúrgica pode bloquear em 59%.

Apesar dos estudos, cientistas alertam que a máscara deve ter camadas suficientes para proteger sem atrapalhar a respiração e, não pode ser muito fina para que sua proteção não seja prejudicada.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade