As influenciadoras que se alimentam de luz – e os perigos à saúde

A influenciadora Audra Bear é uma das adeptas do respiratorianismo e alega ter ficado 100 dias apenas absorvendo luz solar e tomando suco de frutas

Emagrecimento é um assunto que sempre está em alta. Por isso, vira e mexe algumas dietas novas “bombam” nas redes e são aderidas por muitas pessoas. No entanto, nem sempre os novos hábitos alimentares são favoráveis à saúde, como é o caso do respiratorianismo.

O regime consiste na crença de que é possível viver sem alimento e água, consumindo apenas luz solar. No entanto, a moda pode ser um grande perigo. A nutróloga Nívea Bordin Chacur, da Clínica Leger, explica que o ser humano é capaz de viver sem alimentos sólidos, mas é necessária a ingestão de carboidratos, gorduras, proteínas, água e micronutrientes para mantê-lo funcionando.

A dieta ganhou notoriedade em 2014, quando a modelo ucraniana Valeria Lukyanova, também conhecida como “barbie humana”, declarou que não fazia ingestão de alimentos e bebidas, mas se ‘alimentava’ de luz solar.

Agora, a influenciadora digital americana Audra Bear se tornou adepta ao respiratorianismo e compartilha sua experiência com seus seguidores. Aos 25 anos, Bear não ingere mais alimentos sólidos e, na maioria dos dias, se alimenta apenas de sucos de frutas, chá verde, água de coco e smoothies. Ela ainda afirma que, através da energia que absorve na respiração, conseguiu passar quase 100 dias sem comer.

“Viver um estilo de vida prânico é mudar o enfoque de nutrir seu corpo com fontes mais densas (alimento) para fontes menos densas (energia). Eu tinha ouvido falar de pessoas vivendo dessa maneira, mas nunca pensei que seria eu! Eu costumava amar comer. Foi só quando comecei a praticar os exercícios de respiração que percebi que não tinha apetite por alimentos sólidos ou densos”, disse ela à Fox News.

Consequências do respiratorianismo

Viver sem ingerir alimentos sólidos é um grande perigo. Chacur explica que são inúmeros micro e macronutrientes que nosso organismo precisa para trabalhar de forma correta e se manter saudável. “Precisamos dessas substâncias para ficarmos longe de doenças causadas, principalmente, pelo desequilíbrio do aporte de nutrientes”, alerta.

Ela também faz alerta para dietas baseadas na ingestão de líquidos, como a de Audra Bear. “Não a indicamos [a dieta líquida] para a perda de peso, porque haverá uma perda significativa de massa muscular – que devemos manter ou aumentar em nosso corpo para evitar a flacidez”, explica. “Outra desvantagem é a falta de força, o que impossibilita a realização de atividades físicas. Posteriormente pode ocorrer queda de cabelos intensa, fragilidade das unhas e anemia, por exemplo”, cita.

“São muitos os danos decorrentes de uma alimentação desequilibrada. Fraqueza, alteração do sono, esquecimento, constipação, unhas e cabelos fracos e dores musculares são os mais comuns. Doenças também podem surgir, como diabetes, obesidade, osteoporose e alergias. O nosso corpo é uma máquina complexa e não consegue funcionar sem os devidos nutrientes”, conclui.

Orientação profissional é essencial

É importante lembrar que cada organismo funciona de uma maneira e uma dieta adequada para uma pessoa pode não ser indicada para outra – é por esse motivo que as dietas que viram moda costumam funcionar por um curto período, na visão de Chacur.

“O que realmente funciona é saber quais são os alimentos que mais fazem aumentar o peso e substituí-los por outros, se reeducar”, explica a nutróloga. “Organizar a alimentação da semana é superimportante para quem tem uma agenda de trabalho. Ter em mãos alimentos certos para consumir e, quando a fome bater, não comer a primeira coisa que te oferecerem.”

A especialista ainda reitera que não existe dieta milagrosa. O que existe é reeducação alimentar planejada de forma individual para uma perda de peso saudável.

Leia também: Será que a água que bebemos é saudável?

+ Conheça as 10 dietas mais pesquisadas no Google

Relacionamento abusivo: saiba se você está em um no podcast Senta Lá, CLAUDIA