5 perguntas para Marcio Atalla

Para o preparador físico, cuidar do corpo não é sinônimo de neura e é possível perder peso com mudanças simples no dia a dia

Os benefícios das atividades físicas são conhecidos e, mesmo assim, mais de 45% da população brasileira é sedentária. Por que tanta gente resiste, na sua opinião?
De fato, os benefícios são inúmeros. Quem pratica atividades físicas vai sete vezes menos ao médico do que quem é sedentário, por exemplo. Aliás, cada vez mais os países entendem que a mais barata medicina preventiva é se mexer. Por que tanta gente resiste? Fazer atividade física de maneira programada é contra a natureza do ser humano. Se a espécie não fosse poupadora de energia, não sobreviveria. Se vamos ao shopping de carro, procuramos a vaga mais próxima da entrada. Se a escada rolante está quebrada, ficamos chateados por ter que subir os degraus. O ser humano resiste ao movimento. Então, mesmo com informação, não é fácil botar em prática. Outra coisa é que o dia a dia está cada vez mais ocupado – é trabalho, trânsito, locomoção. Tentar uma atividade é uma escolha consciente. Se deixar no automático, você não vai fazer nada. E os resultados só vão vir com regularidade.

2. E quanto ao bem-estar emocional? Você observa, na prática, que as pessoas se sentem melhor depois que começam a praticar atividade física?
O tempo todo, isso é comum. Fora a mudança física e de disposição, atividades físicas também geram uma mudança emocional positiva. Não é à toa que qualquer psiquiatra hoje recomenda atividade física como parte do tratamento de depressão, síndrome do pânico, ansiedade… Na outra ponta, problemas emocionais frequentemente têm consequências negativas para a saúde e o corpo. 50, 60% das pessoas que passam por consulta na minha clínica ganharam peso por conta de algum problema emocional: “Ali em 2008, 2010, ganhei vinte quilos porque me separei, porque meu pai faleceu…”, elas contam.

3. O que você acha dessa neura pelo corpo perfeito? É preciso viver para a academia para ter esses benefícios?
Não! É muito importante dissociar esse padrão, porque essa neura acaba sendo contraproducente. Falo que esses blogueiros e blogueiras fitness são uma máquina de infelicidade. A pessoa os segue e pensa: “puxa, quero ter esse corpo”. Mas nem todo mundo que malha e come bem vai ter um corpo superlegal, um corpo perfeito. Então o seguidor se inspira, faz atividade física por um tempo, fica frustrado e desiste. Outro dia, atendi uma menina muito desanimada, que citava justamente as blogueiras que seguia. Ela me disse: “Fiz tudo o que elas fazem e não consegui chegar lá”. Estava frustrada, triste. Falei: “Espera, tá tudo bem! Com o corpo que você tem e o tanto que está se exercitando, você está ótima. Vamos nos acalmar, esquecer esses padrões altíssimos. Compare-se com você mesma”. Além disso, lembre-se de que as blogueiras fitness têm o dia todo para malhar, vivem disso. Já vi triatletas amadores insatisfeitos, querendo fazer treino de triatleta profissional. Falo para eles: os profissionais treinam o dia todo, vão para casa e dormem. Já você treina e vai trabalhar! Então, vamos ter calma, relativizar e ver o que cabe na sua genética e no seu dia.

4. Que dica você dá para quem está supersedentária e quer começar a se exercitar?
Primeiro: avalie a sua vida, a sua rotina. Mora em apartamento? Mora em casa? Do lado de casa tem uma praça? Ou prefere uma academia? Pode pagar uma? Seja honesta. O segundo passo é colocar regularidade no novo hábito. Sem regularidade e sem fazer por no mínimo três meses, você não verá efeitos. Para sair do sedentarismo, a Organização Mundial da Saúde preconiza meia hora de exercícios, cinco vezes por semana. Saiba que caminhar no shopping, substituir escada rolante por escada normal, tudo conta, mas só se for feito regularmente. Não uso mais elevador? Ótimo, mas tem que ser com frequência. Inúmeras pessoas entram em forma com mudanças incluídas no dia a dia: parando de usar elevador, estacionando mais longe. Recentemente atendi duas mulheres que perderam muito peso só fazendo isso, sem ir à academia.

5. O que você gostaria que todos soubessem sobre alimentação saudável?
As pessoas que buscam melhorar o corpo pensam logo numa alimentação restritiva e é normal eleger um vilão, como o carboidrato. Mas o legal é não cortar nada, porque, se você cortar, provavelmente não vai conseguir levar adiante a alimentação saudável por muito tempo. Não corte nada, e sim coma com equilíbrio.